O DJ e produtor Tim Bergling, conhecido mundialmente como Avicii e considerado por muito o "princípe da EDM" (música eletrónica de dança), morreu na tarde desta sexta-feira, 20 de abril, em Omã, no Médio Oriente.

Em comunicado, a família do DJ sueco agradeceu o apoio dos fãs. Queremos agradecer o vosso apoio e as vossas palavras sobre o nosso filho e irmão. Estamos muito agradecidos a todos os que adoravam a música do Tim [Bergling], e que têm memórias preciosas devido às suas canções. Obrigado por todas as vossas iniciativas em honra do Tim, com encontros públicos, sinos de igreja a tocar as suas canções, homenagens em Coachella e momentos de silêncio por todo o mundo", escreveu a família de Avicii.

No comunicado, os familiares agradecem ainda o respeito pela privacidade "neste momento difícil": "Agradecemos a privacidade que tivemos neste momento difícil e esperamos que assim continue".

O corpo do DJ sueco Avicii, que morreu esta sexta-feira, 20 de abril, em Omã, foi autopsiado duas vezes e os investigadores excluíram suspeita de crime em relação à causa da morte, indicou uma fonte ligada à polícia do sultanato.

“Confirmamos que não há qualquer pista criminal ligada à morte” daquela estrela da música eletrónica, disse à agência France Presse a fonte que não quis ser identificada.

A polícia daquele país do Golfo tem “todas as informações sobre a morte” do DJ de 28 anos, mas “recusa divulgá-las” a pedido da família, adiantou.

Considerado um dos melhores DJ do mundo, Tim Bergling, conhecido como Avicii, foi encontrado morto na sexta-feira, em Mascate, capital do sultanato de Omã, onde se encontrava há alguns dias de férias com amigos.

De Madonna a David Guetta, mensagens de artistas e anónimos encheram as redes sociais para saudar a memória do jovem sueco e a sua contribuição para a música eletrónica.

Responsável por temas como “Le7els”, “Wake Me Up!”, “The Days” ou “You Make Me”, Avicii venceu dois ‘MTV Music Awards’, os prémios de música do canal de televisão MTV, um ‘Billboard Music Award’, os prémios da revista Billboard, e esteve nomeado para dois Grammy.

O DJ e produtor atuou três vezes em Portugal: em 2012, em Leça da Palmeira, Matosinhos, em 2013 no festival Sudoeste, na Zambujeira do Mar, Odemira, e em 2016 no Rock in Rio Lisboa, ano em que anunciou que iria deixar de atuar ao vivo.

Ao longo da carreira, o artista atuou para multidões -  80 000 fãs na sua cidade natal (Estocolmo)-, vendeu mais de 500 mil bilhetes na digressão de "True" (o seu primeiro álbum).

À revista Billboard, em 2016, Avicii confessou que a sua vida era como "uma viagem absolutamente louca". "Comecei a fazer música quando tinha 16 anos, comecei a andar em digressão quando tinha 18 e daí para a frente, entrei nesse universo e passei a dedicar-me 100% a isto. Quando olho para atrás, para a minha vida, penso: wow, fiz mesmo isto? Foi o melhor tempo da minha vida, de alguma forma. Teve um preço... trouxe-me muito stress e muita ansiedade. Mas foi o melhor período da minha vida", confessou.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.