Zoe Saldanha defendeu  que a forma como as celebridades demonizaram Donald Trump contribuiu para a sua eleição como presidente dos EUA.

A rainha da ficção científica, graças às sagas "Avatar", "Star Trek" e "Guardiões da Galáxia", não foi uma apoiante do então candidato do Partido Republicano mas acredita que os insultos de que  este foi alvo durante a corrida para a Casa Branca desagradaram a muitas pessoas do interior do país.

"Ficámos pretensiosos e tornámo-nos arrogantes e também 'bullies'", disse a atriz de 38 anos numa entrevista enquanto promovia o seu mais recente filme, "Viver na Noite".

"Estávamos a tentar destacar um homem por tudo o que estava a fazer de errado... e isso criou empatia num grande grupo de pessoas na América que se sentiu mal por ele e estão a acreditar nas suas promessas", acrescentou.

Indicando estar a "aprender com muita humildade" após a vitória de Trump, Zoe Saldana mantém a esperança que não regressem as discriminações por razões raciais.

"Se continuarmos a ser fortes e a educar-nos, se apoiarmos a igualdade de direitos e tratarmos todos com respeito, não voltaremos a esses tempos", concluiu.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.