Os advogados de Johnny Depp tentaram deslegitimar os depoimentos da sua ex-mulher, Amber Heard, para que os tribunais ingleses autorizem um apelo do processo de difamação que a estrela perdeu contra o tablóide The Sun.

O ator processou o jornal por causa de uma manchete de abril de 2018 que perguntava como é que a escritora britânica J.K. Rowling poderia aceitar aquele "espancador de mulheres" no filme "Monstros Fantásticos", um "spin-off" do universo mágico de Harry Potter.

Querendo limpar a sua reputação, Depp acabou por expor os seus excessos de drogas e estilo de vida extravagante ao escrutínio público num julgamento de alto risco em Londres.

Insatisfeito com a decisão, ele prosseguiu para a instância judicial superior, mas esta especificou em fevereiro que, para obter o direito a um segundo julgamento, ele teria que fornecer novos elementos.

Esta quinta-feira (18), os seus advogados defenderam que Heard, a atriz de "Aquaman", não tinha doado a duas ONGs americanas a totalidade dos sete milhões de dólares que recebeu quando o casal se divorciou em 2017, como alegou que fizera.

A ação legal nos Estados Unidos mostrou que Heard entregou apenas uma parte, disse o advogado Andrew Caldecot, argumentando que, ao alegar o contrário, a ex-mulher do seu cliente "inclinou a balança" a seu favor "desde o início", usando uma imagem enganadora.

Nem Depp, nem Heard estiveram presentes na audiência, no final da qual os magistrados disseram que anunciarão por escrito nos próximos dias se concordam com um novo julgamento.

"Mentirosa compulsiva"

Durante três semanas de audiências em julho, Depp lutou para provar que nunca tinha batido em Heard, apesar do relacionamento violento do casal.

O protagonista da “Piratas das Caraíbas” garantiu que a frase do jornal inglês prejudicou a sua imagem em Hollywood, colocando em risco a sua carreira. Por esse motivo, processou o grupo editorial News Group Newspapers (NGN) e o seu diretor executivo, Dan Wootton.

Após a decisão de novembro contra ele, o ator teve que desistir do seu papel como o vilão Gellert Grindelwad no próximo filme da série "Monstros Fantásticos", que está agora a ser interpretado pelo dinamarquês Mads Mikkelsen.

A NGN baseou a sua defesa em 14 alegados casos de abuso de Heard por Depp, que entrou em detalhes durante o processo.

Os advogados de Depp, no entanto, fizeram um esforço para apresentar Heard como o elemento violento do casal e uma "mentirosa compulsiva" que tinha inventado um caso contra o ator durante anos para impulsionar a sua carreira.

Reconhecendo o abuso de drogas e álcool, o ator disse que, nos seus anos de casamento com Heard, "não estava em condições" de magoá-la e que nunca havia tocado numa mulher, uma afirmação apoiada pelos depoimentos escritos das suas ex-parceiras Vanessa Paradis e Winona Ryder.

Depp conheceu a atriz de "Aquaman" durante a rodagem de "O Diário a Rum" em 2011 e casaram em fevereiro de 2015. Divorciaram-se dois anos depois e a atriz mencionou então "anos" de violência "física e psicológica".

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.