A cantora norte-americana Katy Perry plagiou o seu sucesso de 2013 "Dark Horse" de uma música rap cristão, concluiu um júri esta segunda-feira em Los Angeles.

A fase da sentença, iniciado esta terça-feira com a apresentação dos argumentos, vai determinar a quantia que Katy Perry terá de pagar pela violação dos direitos de autor.

Numa decisão que deixou muitos na sala surpreendidos, os jurados consideraram que todos os seis compositores e as quatro empresas que editaram e distribuíram as canções eram responsáveis, incluindo Perry – que não esteve presente - e Sarah Hudson, que escreveu apenas a letra, para além de Juicy J, que escreveu o rap.

A editora norte-americana Capitol Records e os produtores de Katy Perry, Dr. Luke, Max Martin e Cirkut, foram, também, considerados os culpados no caso.

Os advogados do rapper Marcus Gray argumentaram que “a batida e a linha instrumental apresentada em metade da música ‘Dark Horse’ são, substancialmente, semelhantes às de ‘Joyful Noise’”, cita a AP.

Em defesa, os advogados de Katy Perry disseram que “as partes da música em questão representam o tipo de elementos musicais simples que, sujeitos a avaliação de direitos autorais, podem prejudicar todos os compositores”.

Christine Lepera, advogada da artista, afirmou que “os compositores estão a tentar construir conjuntos de música, num alfabeto musical que deve ser acessível a todos”.

No entanto, o júri discordou e definiu que as batidas da música “Joyful Noise” são, suficientemente, originais para serem protegidos pelos direitos autorais.

“Dark Horse”, com uma nomeação para um Grammy, em 2015, constituiu o repertório de Katy Perry na sua performance, no mesmo ano, no intervalo da final de futebol americano, o Super Bowl.

Ouça as duas canções:

* Notícia atualizada às 14h12

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.