"Dada a enorme complexidade de organizar a programação do Met, não temos escolha a não ser cancelar a temporada de outono", disse o CEO da instituição, Peter Gelb, em comunicado.

"Não há como retomar uma ópera em setembro enquanto continuar o distanciamento social", acrescentou.

A produção de "Aída", de Giuseppe Verdi, prevista para 21 de setembro, foi cancelada, assim como a de "O Anjo de Fogo", de Serguei Prokofiev, cujos espetáculos começariam a 12 de novembro.

O novo calendário vai começar a 31 de dezembro, mas os detalhes ainda não foram anunciados.

"A Flauta Mágica" e "Don Juan", de Wolfgang Amadeus Mozart, continuam na programação de 2021, conforme planeado, embora já tenham sido apresentadas em Nova Iorque.

Devido à falta de tempo "para os preparativos técnicos necessários", os organizadores desistiram de apresentar as novas produções programadas, incluindo "Don Juan", dirigida pelo belga Ivo van Hove.

Para compensar parte das datas canceladas, a Metropolitan Opera vai apresentar performances adicionais em fevereiro.

O Met também anunciou que vai atrasar o início "sempre que possível" e que "está a estudar reduzir a duração de alguns espetáculos".

Nova Iorque vai entrar na primeira fase de desconfinamento na semana de 8 de junho.

Essa primeira fase não inclui as artes de palco, que terão que esperar pela quarta e última fase do plano de reabertura, com data ainda desconhecida. Nenhum teatro ou sala de espetáculos de Nova Iorque anunciou a sua data de reabertura.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.