O realizador Paul Haggis enfrente três novas acusações de condutas sexuais impróprias, incluindo uma de violação, avança a agência Associated Press (AP).

Três mulheres decidiram revelar os seus casos, alegadametne ocorridos entre 1996 e 2015, por causa de um processo civil que está nos tribunais onde o realizador de "Colisão" está a ser acusado de violação.

Uma das novas acusadoras diz que Haggis a forçou a fazer sexo oral e depois a violou.

Outra disse à AP que Haggis lhe disse "Preciso de estar dentro de ti" antes de conseguir fugir.

A advogada do realizador e argumentista de 64 anos, também ligado a outro vencedor dos Óscares, "Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos", desmentiu as últimas acusações: "Ele não violou ninguém".

Paul Haggis apresentou um contra-processo onde alega que a primeira acusadora, Haleigh Breest, e o seu advogado exigiram nove milhões de dólares para evitar a ação legal, o que considerou uma tentativa de extorsão.

Paul Haggis ganhou dois Óscares com "Colisão": Melhor Filme (como produtor) e Argumento Original.

Também ganhou notoriedade ao sair da Cientologia em 2009, que começou a criticar publicamente em 2011, através de um artigo no New Yorker article, um livro e um documentário na HBO. As três mulheres que agora foram entrevistadas em separado pela AP negam pertencer a essa culto religioso.

Em outubro, também condenou as ações de assédio sexual envolvendo o produtor Harvey Weinstein.

"Muitas pessoas ficam comprometidas pelas alegadas ações de Harvey. Embora toda a gente pense que é um comportamento vil, temos de nos focar naqueles que podem ter conspirado e o protegeram. Para mim, são tão culpados com ele e, em alguns casos, se o posso dizer, ainda mais. Isto é, ele era um predador e um predador é um predador. Mas e aqueles que preferem virar a cara?", disse ao The Guadian.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.