O livro de Carlos Nogueira “alarga o horizonte dos estudos literários ao analisar, com igual dignidade hermenêutica, tanto os clássicos universais da literatura para a infância e juventude, como as obras dos diversos autores portugueses que se dedicaram a essa prática literária, e de que ‘O Conto da Ilha Desconhecida’, de José Saramago, é um dos seus exemplos mais representativos", lê-se na justificação do júri.

"Além do importante contributo que traz à compreensão da escrita para os mais jovens, este livro concentra-se também em diversos contos populares, tornando-os objetos de estudo atento e inovador”, prossegue a declaração do júri, composto pelos professores e escritores Ana Mafalda Leite, Liberto Cruz e Miguel Real

Carlos Nogueira é professor na Universidade de Vigo, em Espanha, e cotitular da Cátedra José Saramago desta universidade.

É autor de livros de ensaios, cronista e soma ainda cerca de uma dezena de livros dirigidos a crianças e jovens, incluídos no Plano Nacional de Leitura, designadamente “Sophia, a Menina da Terra e do Mar”, em parecia com Adélia Carvalho.

Da sua bibliografia fazem parte, entre outros, “Nenhuma Palavra É Exata. Estudos sobre a obra de Valter Hugo Mãe”, que lhe valeu o Prémio Montepio de Ensaio/2014, “A Sátira na Poesia Portuguesa” e ensaios sobre a obra poética de Nicolau Tolentino, Guerra Junqueiro e Alexandre O'Neill, assim como “Textos Universitários de Ciências Sociais e Humanas".

Para crianças também escreveu "O Grande Chefe", "O Mocho Comi", "Os Dois Irmãos e a Bruxa", "O Lobo das Meias" e a "Inquietação da Água", entre outros livros.

O autor recebeu várias vezes o Prémio de Internacionalização da Produção Científica da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, pelos artigos publicados em revistas indexadas no índice internacional ISI Web of Knowledge.

O livro agora premiado, que assume uma “Resposta a Italo Calvino”, o autor de “Porquê ler os clássicos?”, reúne 15 ensaios sobre obras que têm sido ou podem ser integrados no cânone de clássicos da literatura infantil e juvenil.

Os ensaios vão de Gil Vicente a Fernando Pessoa, passam por contos dos Irmãos Grimm, não esquecem heróis como Heidi e Peter Pan, nem autores como Emília de Sousa Costa, Alexandre O’Neill, José Saramago, Álvaro Magalhães, António Mota, Sophia de Mello Breyner Andresen, nem tão pouco o tratamento de temas como o humor e a morte na literatura para a infância e a juventude.

"A Escola Sob Suspeita", "Literatura Oral em Verso", "O Essencial Sobre a Literatura de Cordel Portuguesa" e "O Essencial sobre o Cancioneiro Infantil e Juvenil de Transmissão Oral" são outras obras de Carlos Nogueira.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.