A ligação de Marlyne Barrett, atriz que veste a pele de Maggie Lockwood em "Chicago Med", ao mundo da saúde não se fica só pelo pequeno ecrã. Em conversa com o SAPO Mag antes da estreia da quinta temporada da série da FOX Life, a atriz recorda que poderia ter sido médica, se tivesse seguido as pisadas da sua família.

"Adoro a área da saúde. (...) Muitos dos meus familiares estão ligados à medicina - a minha mãe é enfermeira, a minha irmã é médica, o meu pai é engenheiro da área, trabalha para a empresa alemã de engenharia, a Siemens Electronic, que faz desde frigoríficos a máquinas de Raio X ou de ressonância magnética", lembra a atriz, acrescentando que fez um curso de enfermagem.

Mas o seu objetivo nunca foi seguir as pisadas da sua família. "Eu não queria entrar em medicina, mas adoro a área da saúde. Adoro ajudar as pessoas e sempre me preocupei com isso", conta, frisando que o convite para se juntar ao elenco de "Chicago Med" foi "um casamento perfeito".

"Quando acabei o meu mestrado em representação, o meu primeiro trabalho foi na série 'Lei & Ordem' e foi apenas uma cena, não me lembro em que episódio. Mas acho que alguém era acusado de um crime. Não me lembro bem, mas lembro-me de dizer a mim mesma que adorava aquilo", recorda, contando que depois "trabalhou com a mesma empresa em mais sete séries", até chegar o convite para fazer parte do elenco de "Chicago Med".

Chicago Med

No elenco regular da série desde 2015, Marlyne Barrett conta ao SAPO Mag que a quinta temporada - que estreia esta segunda-feira, dia 19 de outubro, às 21h30, na FOX Life - é uma das suas favoritas e a mais marcante em termos pessoais. "Para mim, a quinta temporada é uma das mais humanas que já vi na televisão. Tem um pouco de tudo, desde a esperança ao medo", sublinha a atriz, contando ainda que a sua personagem, Maggie Lockwood, enfrenta um cancro da mama nos novos episódios.

Em entrevista ao SAPO Mag, a atriz confessa que, quando conheceu a história da quinta temporada foi um choque, porque a sua mãe também tinha sido diagnosticada com cancro da mama. "A minha mãe é uma sobrevivente e a série deu-me a oportunidade de explorar o que sentia. (...) Ajudou-me a lidar com as emoções que tive durante esse tempo e que não sabia que ainda tinha dentro de mim. Foi um caso muito específico porque também sou mulher... e o cancro da mama é um dos mais devastadores para uma mulher", sublinha.

"Quando estava a fazer a pesquisa para a série... há muitas coisas que adoro em Portugal e, ao ver alguns estudos, vi que são muitas as pessoas diagnosticadas com cancro e que, por ano, são cerca de mil as morrem com cancro da mama em Portugal", lembra a atriz. "Comecei a pensar em todas as mulheres de todo o mundo que lidam com isto e como têm esperança. E eu tenho esperança, mesmo quando se torna difícil e choras. Temos de limpar as lágrimas. Se os dias se tornarem complicados, encontra um amigo, mas nunca percas a esperança", frisa.

Já sobre a sua personagem na série, a atriz lembra que Maggie Lockwood é uma enfermeira com capacidade "de desenvolver boas relações com as pessoas". "Adora a capacidade da Maggie para mudar, crescer, de assumir que está errada, de pedir desculpa", acrescenta.

"Apesar da dor pela qual vai passar devido ao cancro da mama, ainda consegue encontrar um lugar no seu coração para alguém e conhecer essa pessoas. Ela vai conhecer alguém muito importante", revela Marlyne Barrett.

O regresso às gravações

Ao SAPO Mag, a atriz conta ainda que as gravações da sexta temporada de "Chicago Med" já arrancaram. "Voltar foi muito bom. Respeitamos todas as normas de segurança, de proteção, e estamos a ter todos os cuidados. Estamos a aprender a lidar com a situação", frisa.

"As séries estão a ser filmadas quase todas ao mesmo tempo, temos de ser capazes de proteger toda a gente. Estamos a falar de quase 600 pessoas que se juntam para filmar 'Chicago' ['Chicago Med', "Chicago Fire' e 'Chicago P.D.'] e, por isso, temos de fazer testes - estamos a ser testados cinco vezes por semana e queremos ter a certeza que todos estão bem e seguros e que somos capazes de trabalhar com esta nova realidade", explica Marlyne Barrett.

Nas próximas temporadas, a realidade da pandemia da COVID-19 vai estar refletida nos episódios, mas não será o tópico central da história, revela a atriz: "Vamos cobrir algumas situações e vamos incorporar a nova realidade (...)  Vamos mostrar o novo normal, por exemplo, nas viagens para o trabalho e a proteção que temos de usar... estamos a desenvolver uma nova forma de viver e, por isso, vai fazer parte da nossa história".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.