"Para muitos a felicidade passou a ser algo muito mais simples"

José Alberto Carvalho despediu-se no passado domingo, dia 29 de março, do "Jornal das 8", da TVI. Nas próximas duas semanas, o jornalista vai estar em quarentena voluntária, sendo substituído por Pedro Pinto.

"Vou entrar em isolamento a partir de amanhã, a cobertura jornalística da pandemia prossegue na TVI, como em tantas outras redações por uma razão simples: é esta a nossa missão", começou por frisar.

No final da emissão do espaço de informação do canal de Queluz de Baixo, José Alberto Carvalho partilhou também "duas reflexões no final destas duas semanas particularmente intensas". "Hoje foi sepultada uma pessoa da minha família, que sempre foi muito importante na minha vida. Sucumbiu aos 93 anos. Não foi vítima da COVID-19, mas o vírus tirou-me outra coisa: impediu que me despedisse dela. A cerimónia fúnebre foi reduzida, meia dúzia de pessoas apenas, sem um abraço de conforto e sem aquele pegar na mão para dizer força. O vírus rouba-nos até esta exigência moral de humanidade que é despedirmos-nos dos nossos mortos. E nunca, nem nos campos de batalha mais sangrentos, se deixam os mortos para trás", sublinhou.

"Preciso de desabafar um outro exemplo onde a humanidade se esvai: um médico com quem falei hoje e outros com quem tenho falado nos últimos dias contam-me de como a esmagadora maioria deles - médicos, enfermeiros, técnicos, auxiliares, condutores de ambulância ou paramédicos - não dormem em casa ou não se aproximam dos filhos, dos maridos, das mulheres", contou.

"Para muitos a felicidade passou a ser algo muito mais simples do que alguma vez foi no passado: o desejo infinito de voltar a abraçar os nossos amores", concluiu o jornalista da TVI.

Nas redes sociais, o vídeo do momento soma centenas de partilhas e, na noite deste domingo, foi durante algumas horas o tema mais comentado no Twitter em Portugal.

Veja o vídeo:

"Não é daquelas que se resolvem a pensar 'isto só acontece aos outros'"

No final da emissão de quarta-feira, dia 11 de março, do "Jornal da Noite", da SIC, Rodrigo Guedes de Carvalho deixou uma mensagem sobre as medias preventivas relativas ao novo coronavírus (COVID-19).

"Foi declarada oficialmente a pandemia. Permita-me recordar que nesta fase estamos todos no mesmo barco, não sabemos para onde vai, não sabemos qual a dimensão do perigo que espreita. Em Portugal, e até novas ordens, podemos fazer a nossa vida", começou por frisar. "Mas com uma atenção suplementar: reduzir os nossos contactos físicos ao estritamente necessário, evitar aglomerações sempre que possível, manter uma higiene vigilante e respeitar o espaço dos outros", acrescentou.

"É bom que os portugueses percebam que esta não é daquelas que se resolvem a pensar 'isto só acontece aos outros'. Dito isto, vamos manter a esperança e o ânimo porque a tempestade vai passar com a ajuda de todos nós, do país e do mundo", sublinhou.

"Estar em isolamento não é estar de férias"

Na emissão de "Jornal da Tarde", da SIC, Bento Rodrigues deixou um alerta sobre o isolamento social recomendado pelas autoridades de Saúde. O jornalista fez o apelo antes de mostrar as "inacreditáveis imagens de praias cheias".

"Estar em isolamento não é estar de férias. Não é ir à praia, não é passear no café, não é ir ao centro comercial, não é entrar em contacto com pessoas. Estar em isolamento ou evitar o contacto é estar em casa, é manter a distância social, é ter cuidados de higiene redobrados, é cuidar de si... e com isso, cuidar de nós", frisou o jornalista da SIC.

"Vamos de fim de semana. Não será o que gostaríamos"

"Vamos de fim de semana. Não será o que gostaríamos, será o que tem de ser daqui para a frente. ‘Um vírus que vem lembrar a fragilidade da nossa existência’, diz-me um amigo esta manhã. É verdade, mas concentremo-nos antes na extraordinária capacidade de cada um de nós e de todos juntos. Assusta? Assusta. Por isso, sejamos serenos, exigentes mas também responsáveis a seguir as recomendações: cuidado ao tossir e espirrar, lavar bem as mãos, evitar cumprimentos e locais fechados, respeitar o espaço do outro. Quarentena e isolamento significam ficar em casa. Vivemos um tempo novo em que a nossa vida muda, tem de mudar, um tempo que pede ainda mais o melhor de nós para que tudo corra bem... E vai correr. Cuide de si, estará a cuidar de todos. Bom fim de semana", frisou Bento Rodrigues.

"Aos vossos avós foi-lhes pedido para irem à guerra, a vocês pedem-vos para ficar no sofá"

"Permita-me uma frase que não é minha, que li hoje nas redes sociais, mas que apetece muito partilhar: 'Aos vossos avós foi-lhes pedido para irem à guerra, a vocês pedem-vos para ficar no sofá. Tenham noção'", disse Rodrigo Guedes de Carvalho.

"Obrigado"

“E pronto. Respire fundo. Vamos manter-nos serenos e cuidadosos. Por fim, pelo que já tiveram de fazer, pelo que estão a fazer neste momento, pelo tanto que ainda vai ser exigido, a minha última palavra de hoje é para médicos, enfermeiros, auxiliares, todos os profissionais de saúde do meu país. E a palavra é: OBRIGADO. E sei que falo por todos nós... Aqui e aí em casa", sublinhou Rodrigo Guedes de Carvalho.

Mais informações sobre o COVID-19

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.