Filipa Gomes chegou ao 24Kitchen em 2012, depois de participar num casting em que se procurava uma nova cara para o canal. Desde a sua estreia, a chef-apresentadora já esteve ao leme do programa diário "Prato do Dia" e dividiu a caravana com Filipa Vacondeus no programa "À Boleia da Filipa".

A partir de 24 de julho, Filipa Gomes vai fazer companhia aos espectadores em "Cozinha Twist". Antes da estreia do programa uma das 'foodies' mais populares em Portugal conversou com o SAPO Mag.

"Comida boa que se farta. E muito twist". É assim que Filipa Gomes resume o seu novo programa no 24Kitchen. "O programa está relacionado com a forma como eu cozinho, com a forma como eu encaro a culinária. Não sou uma pessoa nada estática e farto-me se estiver sempre a fazer a mesma coisa. Portanto, na verdade, o programa é um espelho daquilo que sou - tanto do ponto de vista estético como do ponto de vista do conteúdo. Tanto cozinho um prato tradicional como de repente lhe dou um twist, como faço uma coisa de inspiração internacional, como faço comida mais saudável ou coisas muito gulosas. Cabe tudo neste novo programa", explicou ao SAPO Mag.

"Um dos meus objetivos é simplificar ao máximo todos os processos de forma a que as pessoas que estão em casa consigam reproduzi-los. Por isso é que sou tão exaustiva a mostrar certos passos porque, para mim, é importante que as pessoas em casa consigam... senão, para que é que serve o programa?", frisa, explicando que todo o alinhamento do programa é pensado ao pormenor. "Há uma coisa muito básica e que as pessoas não têm noção: tenho de pensar a coreografia da receita no meu guião. Em casa, colocamos o salmão a cozer, a seguir vamos fazer o arroz, mas depois também queremos um molho e fazemo-lo só no final e o salmão já está frio... E no programa tento que isso tudo seja coordenado ao máximo porque, do ponto de vista da televisão, não interessa que fiquemos a gaguejar ou à espera de alguma coisa e também porque facilita o processo em casa - no meu dia a dia, sim, também começo numa coisa e depois vou para outra. Mas o meu objetivo aqui é simplificar ao máximo a vida das pessoas", garante.

Filipa Gomes

Antes de entrar no mundo da televisão e da culinária, Filipa Gomes trabalhava em publicidade e marketing, áreas que ainda a ajudam no dia a dia. "A publicidade deu-me imensa estaleca porque trabalhávamos para 30 segundos e, nesses 30 segundos, cada 30 milésimos de segundo contavam e tinham de estar perfeitos. Portanto, acho que isso me ajudou naquilo que estou a fazer agora", confessa, acrescentando que diante do seu critério de publicidade, "'Cozinha com Twist' não está bom".

"Não faz mal nós querermos estar bonitos e sermos vaidosos"

O grafismo, o cenário e as roupas que Filipa Gomes usam são alguns dos aspetos que prenderam a atenção dos espectadores. Ao SAPO Mag, a protagonista de "Cozinha com Twist" explica que a inspiração vem do rock, de Madonna e dos anos 1980. "Adoro o Tarantino. Gosto de rock n' roll e da forma como os espetáculos aconteciam antigamente - vamos ver um concerto? É para ter tudo. 'Bora' meter fogo e bailarinas nuas. É show. Acho que nisso, os portugueses têm medo de ser exagerados. 'Mas tens mesmo de cozinhar com o cabelo solto e como os lábios pintados?' Sim. Porque não? Eu não estou a cozinhar para ti,  tu não vais comer a minha comida. Se cair um cabelo, qual o problema? A tua mãe também metia uma touca quando comias a comida dela em casa? Então, não faz mal nós querermos estar bonitos e sermos vaidosos. E essa é um bocadinho a inspiração que eu vou buscar aos concertos do antigamente, à Madonna dos anos 1980", conta.

"Quando falámos em referências, é inevitável pensar num Jamie Oliver, numa Nigella Lawson, num Anthony Bourdain e num Gordon Ramsay. Mas destes todos, acho que principalmente o Jamie porque foi ele que tornou os programas de culinária em programas de entretenimento. E se não tivesse existido um Jamie Oliver no início, não teria existido uma Filipa Gomes no 'Prato do Dia'", explica Filipa Gomes.

"'Pesadelo na Cozinha' exige que a pessoa que o esteja a apresentar tenha de ser um bocadinho cruel"

Nos últimos anos, um pouco por todo o mundo, os programas de culinária têm conquistado mais e mais espectadores. Em Portugal, por exemplo, "Pesadelo na Cozinha", da TVI, liderou audiências durante vários meses. Para Filipa, a moda pode acabar, mais tarde ou mais cedo. "Fico sempre a pensar em que dia é que vai rebentar a bolha. Há pessoas que me dizem que a bolha não vai rebentar porque a cozinha veio para ficar porque as pessoas precisam de se alimentar todos os dias. É possível ou talvez não. Mas não penso muito no assunto, quero é fazer agora e só não faço mais porque não tenho capacidade para dar conta de tudo", explica.

Ao SAPO Mag, a chef e apresentadora de televisão confessou ainda que gostava de apresentar um concurso, mas descarta a hipótese de apresentar o programa de Ljubomir Stanisic na TVI. "Eu sou muito bruta, mas depois há um lado meu que não consegue ver as pessoas a falhar e lido mal com isso - quando uma pessoa cai à minha frente, antes de me rir, vou ajudar. E o 'Pesadelo na Cozinha' exige que a pessoa que o esteja a apresentar tenha de ser um bocadinho cruel, provavelmente mais do que seria na realidade. Lá está, é um show, um espetáculo. Televisão é televisão, não é vida real", conta.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.