Esta medida permitirá ao canal, que também transmite séries de grande audiência como "O Sexo e a Cidade" e "The Wire", entrar no mercado em ascensão e muito competitivo de vídeo "streaming".

A HBO via internet, que poderá ser acedido somente nos Estados Unidos, também representará um problema para as operadoras a cabo.

Richard Plepler, presidente do canal, afirmou que esta nova iniciativa será "transformadora" porque, pela primeira vez, a HBO vai fornecer o seu serviço diretamente aos consumidores.

Pleper não deu detalhes sobre a data de lançamento nem sobre o custo da assinatura do novo serviço, que será destinado a pessoas que não têm TV a cabo ou sem acesso a serviços mais caros.

"Vamos trabalhar com os nossos sócios atuais e explorar modelos de negócios com novos sócios", afirmou Pleper, ao explicar os esforços para chegar a 80 milhões de lares que, atualmente, não têm acesso ao canal nos Estados Unidos.

O novo serviço da HBO será equivalente aos de Netflix, Amazon e Hulu, que estão a ampliar e a melhorar cada vez mais as suas produções.

A notícia não é tão boa para as operadoras a cabo e de televisão via satélite, que oferecem pacotes de inúmeros canais, entre os quais a HBO normalmente se destaca como uma das principais ofertas.

"Os seus maiores medos tornaram-se realidade", disse o analista da Forrester Research, James McQuivey.

"A HBO transmite um dos conteúdos mais caros da televisão e atrai muitos jovens, que provavelmente não serão mais assinantes de TV a cabo nos próximos cinco ou dez anos", concluiu McQuivey.

@AFP

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.