A cerimónia fúnebre do ator Pedro Lima, que morreu no sábado aos 49 anos, realiza-se hoje à tarde em Cascais. Marcelo Rebelo de Sousa marcou presença no Hipódromo de Cascais e recordou o ator com quem privou de perto.

"Eu só tive com ele memórias felizes. Ele era o retrato da vida, o retrato da felicidade, o retrato de querer, de querer criar a felicidade nos outros. Nunca o vi infeliz, essa é a grande memória que tenho dele", lembrou o Presidente da República.

"Privei com ele mais de perto mas, os milhões que privaram com ele à distância, não esquecem e agradecem. Muita saudade, uma saudade infinita e, ao mesmo tempo, feita de solidariedade", frisou, lembrando que o setor da cultura atravessou um período difícil durante o confinamento. "[As pessoas] Não têm noção do que isso foi no mundo da cultura e no mundo do espetáculo. Parou completamente. Parou, a programação mudou totalmente. Isso parou a vida das pessoas, virou-as para dentro, para os seus problemas e criou situações que eram imprevisíveis e incompreensíveis, mas que nos deixam um traço de saudade que é difícil de apagar", lembrou o Presidente da República.

De acordo com a empresa, o velório público do ator decorrerá entre as 18:00 e as 19:00 de hoje no Hipódromo de Cascais, seguindo-se uma cerimónia no Centro Funerário de Cascais reservada à família.

O ator Pedro Lima foi encontrado sem vida no sábado, na Praia do Abano, em Cascais.

Pedro Lima nasceu em Luanda em abril de 1971, fixou-se em Portugal, mas manteve a dupla nacionalidade que lhe permitiu representar o país natal em provas de natação de alta competição. Foi atleta olímpico, por Angola, nos Jogos de Seul (1988) e de Barcelona (1992), nos estilos livres e de mariposa.

A carreira como ator remonta a 1997, quando já era modelo, atleta de alta competição e apresentador do Magacine da RTP2, depois de ter passado pelo curso de Engenharia Mecânica no Instituto Superior Técnico.

Ator que se tornou popular pela televisão, sobretudo em telenovelas, Pedro Lima representou também em teatro, trabalhando em companhias independentes como os Artistas Unidos, a Companhia de Teatro de Almada e o Teatro Aberto, em produções de Filipe La Féria e do Teatro Villaret.

Nos primeiros anos 2000 teve ainda a produtora Prati, numa parceria com Raul Solnado.

Deu vida a personagens de dramaturgos como Samuel Beckett, David Mamet, Tom Stoppard, August Strindberg e Anton Tchekhov, entrou no cinema de Carlos Saboga, Nicolau Breyner e Joaquim Leitão, mas foi através de telenovelas e séries filmadas que o grande público fixou o seu rosto.

Foram mais de três dezenas de produções televisivas, entre séries e telenovelas como "Amar Depois de Amar", "A Herdeira", "Beijo do Escorpião", "Destinos Cruzados", "Fala-me de Amor", "Ninguém Como Tu", "Inspector Max", "Coração Malandro", "Todo o Tempo do Mundo", "Major Alvega", "Os Lobos" ou "Os Jornalistas". Atualmente estava a fazer a telenovela "Amar Demais" para a TVI.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.