No início de fevereiro, a TVI lançou uma minissérie documental de Alexandra Borges "sobre caso único em Portugal e raro na Europa". "Amor sem fim" estreou no passado dia 3 de fevereiro.

Depois de ir para o ar o último episódio foi lançada uma petição online "para alterar lei que impede Ângela de engravidar". Criada por Ângela Sofia de Castro Vieira Ferreira, a protagonista da minissérie documental da TVI, a petição pede que "seja discutido no parlamento a inseminação artificial com sémen de cônjuge falecido".

Em menos de duas semanas, a petição foi assinada por mais de 105 mil pessoas.

"Afigura-se de extrema crueldade e descriminação que uma mulher que inicie um processo de PMA, durante a doença do seu marido ou companheiro, tendo crio-preservado o seu sémen e com consentimento prévio assinado, não possa dar continuidade ao desejo do casal e a um projeto de vida ponderado cuidadosamente e conjuntamente", lê-se no texto que acompanha a petição.

Ângela e Hugo são os protagonistas da minissérie documental de quatro episódios da autoria do jornalista Emanuel Monteiro. "Ângela tinha 30 anos, Hugo apenas 28 quando as suas vidas se cruzaram. De uma paixão fugaz a um amor para sempre, o tempo foi curto e os planos, esses, inúmeros: o casamento, os filhos, as viagens. Porém, o tanto transformou-se em nada, no dia em que Hugo morreu. Hoje, com apenas 32 anos, Ângela torna pública a sua luta, numa corrida contra o tempo, para cumprir a última, e a grande promessa que fez ao marido: dar-lhe um filho", avança a TVI.

Leia aqui a crónica de Alexandra Borges sobre "Amor sem fim"

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.