Parte da imprensa de Nova Iorque dedicou a manhã da passada quinta-feira ao debate sobre a demissão de Matt Lauer, depois de o jornalista ter sido acusado de abuso por seis mulheres, três das quais se queixaram diretamente à direção do canal.

"Today's Perv", em português "o pervertido de hoje", um jogo de palavras com programa matutino que Lauer apresentava, "The Today Show", foi a manchete do jornal The Daily News.

Nos Estados Unidos, a comoção provocada por essas revelações até é maior do que as que envolveram Harvey Weinstein, pouco conhecido pelo público em geral, ou qualquer outra personalidade, porque Lauer é uma figura bastante popular no país.

"Os homens sonhavam em ser ele, e as mulheres fantasiavam em dormir com ele - e certamente alguns desses homens também", escreveu o jornalista especializado da CNN Brian Stelter num livro sobre os programas matutinos de televisão publicado em 2014.

Esta quinta-feira, o jornalista de 59 anos divulgou um pedido de desculpas público, dizendo que se sente "arrependido e envergonhado".

"Não há palavras para expressar a minha tristeza e o meu arrependimento pela dor que causei pelas minhas palavras e ações", disse num comunicado. "A quem prejudiquei: sinto muito, sinceramente. Sou consciente da magnitude do dano e da decepção que deixo em casa e na NBC".

"Algumas coisas que dizem de mim não estão corretas ou são imprecisas, mas há verdade suficiente nessas histórias para fazer com que me sinta arrependido e envergonhado", escreveu Lauer, que apresentava o programa matutino da NBC desde 1997 e cobrava 25 milhões de dólares por ano.

As acusações contra Matt Lauer não parecem incidentes isolados mas antes algo mais sistemático, que durou anos.

Matt Lauer não era o chefe da NBC e "muitas das relações (sexuais que teve com seus colegas) foram consensuais, mas continua a ser um problema pelo poder que tinha", explicou um ex-produtor do "The Today Show" ao site da revista Variety.

"Ele não podia ir para a cama com celebridades nem mesmo com pessoas desconhecidas porque era Matt Lauer e era casado", continuou. "Assim, agia no seus domínio, onde exercia o seu poder e sabia que ninguém se queixaria".

Em geral, o mundo do jornalismo televisivo nos Estados Unidos continua dominado por homens.

Os três telejornais noturnos das grandes redes nacionais (NBC, CBS e ABC) são apresentados por homens, e antes da demissões de Lauer e Rose, dois dos três apresentadores famosos da manhã também eram homens.

Para Megyn Kelly, que agora é a figura mais famosa da NBC no horário da manhã, a série de escândalos atuais marca "a erosão de um desequilíbrio vergonhoso de poder que vigorou durante muito tempo".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.