Disponível em Portugal desde 2016, a Filmin é uma plataforma de cinema que se distingue pelo cuidado e toque pessoal na apresentação em canais e coleções temáticas dos seus filmes, seja dos grandes estúdios de Hollywood ou do circuito independente e de autor, europeu, americano ou asiático.

Maio é sinónimo de Cannes, o festival de cinema mais importante do mundo e a rampa de lançamento para tantos filmes incontornáveis: com a 76.ª edição a decorrer de 16 a 27 de maio, e com especial destaque para "Aftersun", que chega em absoluto exclusivo à Filmin, juntamos alguns dos títulos mais recentes e marcantes da sua vasta biblioteca que nasceram para o cinema na cidade francesa da Côte d´Azur, lançando-se numa jornada que, para alguns, até chegou aos Óscares.

E mais: no âmbito do lançamento exclusivo de "Aftersun", a Filmin faz uma promoção especial: um primeiro mês de subscrição para desfrutar do melhor cinema e séries por 3,99€ (antes 6,95€), automaticamente renovada para uma assinatura básica mensal (6,95€), que pode ser cancelada quando se quiser.

A oferta é válida até 31 de maio e pode ser ativada em www.filmin.pt/landings/aftersun-mensal.

Aftersun (2022)

Foi visivelmente uma das surpresas mais aplaudidas durante o anúncio das nomeações aos Óscares em janeiro: com Tom Cruise a espreitar com o imensamente popular "Top Gun: Maverick", foi Paul Mescal a juntar-se à corrida para Melhor Ator, ao lado dos esperados Austin Butler, Colin Farrell, Brendan Fraser e Bill Nighy.

A justíssima nomeação para o ator, revelado pela minissérie "Normal People" em 2020 e a poucos dias de festejar 27 anos, acabou por ser solitária, mas provavelmente foi a primeira vez que muitos ouviram falar de "Aftersun", que já tinha colecionado dezenas de prémios e nomeações desde a antestreia mundial e aclamação na Semana da Crítica do Festival de Cannes, em maio de 2022.

Agora em exclusivo na Filmin, este é o estonteante filme de estreia da escocesa Charlotte Wells após dirigir três curtas, produzido por Barry Jenkins (do vencedor dos Óscares "Moonlight"), uma evocação melancólica que mergulha na enternecedora, delicada e complexa relação entre um jovem pai e a filha de onze anos durante umas férias de verão numa estância na Turquia em meados da década de 1990.

Inspirada pelas recordações da própria realizadora e belíssimamente filmada, até a banda sonora se integra nesta história cheia de subtilezas sobre amor, perda e arrependimento, que precisa ser vista mais do que uma vez, com atores em estado de graça: Mescal, a futura estrela da sequela de "Gladiador", mas também a jovem revelação Frankie Corio, escolhida entre mais de 800 candidatas e uma das melhores estreias de de sempre de uma criança no cinema.

"Aftersun" é um filme de tirar o fôlego sobre o impacto da nostalgia numa filha que tenta conciliar a memória de um homem que brilhou no papel de pai e, ao mesmo tempo, era um adulto com a vida a desmoronar que nunca chegou verdadeiramente a conhecer.

Titane (2021)

Após uma série de crimes sem explicação, um pai reúne-se ao seu filho que estava desaparecido há 10 anos: esta é a descrição sem 'spoilers' de "Titane", a chocante escolha do júri presidido por Spike Lee para a Palma de Ouro na edição de 2021 de Cannes.

Foi a consagração da realizadora Julia Ducournau, que já sacudira o festival com o intenso "Raw" em 2016: com Vincent Lindon e Agathe Rousselle nos papéis principais, esta é uma experiência indescritível de cinema, entre o 'thriller' e 'body horror', original, radical, excêntrica e violenta, que coloca perguntas atuais e difíceis sobre convenções dos géneros, a relação entre seres humanos e máquinas e a paternidade.

O Quadrado (2017)

Presidente do júri da edição deste ano de Cannes e com todos os seus filmes disponíveis na Filmin, Ruben Östlund é um dos raros cineastas a ganhar por duas vezes a Palma de Ouro e, em ambos os casos, a jornada até chegou às nomeações para os Óscares: "Triângulo da Tristeza", no ano passado, juntou-se a "O Quadrado", Palma do júri presidido por Pedro Almodóvar.

Através do quotidiano do respeitado curador de um museu que reage de forma inusitada ao roubo do seu telefone e mergulha numa crise existencial por causa da campanha inesperada criada para uma exposição chamada "O Quadrado", Östlund dispara artilharia pesada à burguesia e ao cinismo das campanhas de marketing endereçada às massas indiferentes agarradas aos seus 'smartphones' em mais uma visão satírica da sociedade moderna num registo de comédia negra e bizarra que já conquistara legiões de fãs com "Play" e "Força Maior".

Parasitas (2019)

A escolha para a Palma de Ouro de 2019 do júri presidido por Alejandro González Iñárritu foi para um retrato fulminante do abismo entre as classes sociais na Coreia do Sul: um drama familiar tingido de 'thriller' e sátira ácida de Bong Joon-ho sobre duas famílias coreanas muito especiais, uma no desemprego cujo interesse peculiar por uma outra com um estilo de vida completamente oposto vai levar a uma imparável cadeia de incidentes.

Conseguindo quebrar as barreiras linguísticas e obter sucesso em todo o mundo, a jornada de "Parasitas" culminaria a 9 de fevereiro de 2020 na conquista de um histórico Óscar de Melhor Filme, o primeiro e até agora único não falado em inglês em 95 anos das estatuetas douradas, além dos prémios de Melhor Realização, Argumento Original e Filme Estrangeiro. Incrivelmente, foi a primeira nomeação na categoria para o cinema da Coreia do Sul, chamando a atenção para a enorme vitalidade artística que levou a grandes sucessos nos últimos 20 anos.

Shoplifters - Uma Família de Pequenos Ladrões (2018)

O mestre japonês Hirokazu Kore-eda venceu a Palma de Ouro do júri presidido por Cate Blanchett e ainda foi nomeado ao Óscar de Melhor Filme Internacional com esta história sobre os membros de uma família pobre que se dedica a furtos e recolhem uma menina órfã, parecendo viver felizes juntos até que um incidente imprevisto revela segredos escondidos, testando os laços que os unem.

A família são os laços de sangue ou dos que nascem de se passar algum tempo juntos é uma pergunta cuja resposta fica para ser encontrada por cada espectador neste retrato minucioso de "pessoas comuns" que procuram uma segunda oportunidade de serem felizes num complexo e comovente drama familiar e social de um cineasta justamente celebrado pelo estilo naturalista e melancólico, com ternura em direção às crianças, conhecido em Portugal por títulos como "Ninguém Sabe", "Andando" e "Tal Pai, Tal Filho".

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.