Andy Serkis é talvez o ator que mais vezes interpretou no cinema recente personagens através da técnica do «performance capture», através da qual os movimentos e a representação do ator são gravados com um enorme aparato de câmaras e ecrãs verdes e depois trabalhados digitalmente para criar a personagem final.

O papel que o celebrizou foi o de Gollum na saga «O Senhor dos Anéis» mas, depois disso, já deu corpo ao King Kong de Peter Jackson ou a Capitão Haddock em «As Aventuras de Tintin - O Segredo do Licorne».

Em 2011, foi um dos protagonistas de «Planeta dos Macacos: A Origem», onde interpretou o primata Caesar e agora regressa ao papel em «Planeta dos Macacos: A Revolta», que esta quinta-feira chega às salas de cinema portuguesas.

Em Londres, estivemos à conversa com o ator, falámos sobre o filme, sobre a evolução dos efeitos visuais e sobre a sua vontade em levar a «performance capture» até às nomeações aos prémios da Academia. Tivemos até direito a ouvir a voz de Caesar...



O SAPO Cinema viajou a convite da Big Picture Films.