A atriz sueca Britt Ekland está orgulhosa de ter sido uma "Bond Girl" ao lado de Roger Moore no filme de 1974 "007 e o Homem da Pistola Dourada".

E revelou ao jornal The Guardian uma razão muito especial: "Sou a 'Bond Girl' mais orgulhosa que existe porque não há muitas de nós e não haverá nenhuma no futuro".

Segundo a atriz, também conhecida por ter sido a segunda esposa de Peter Sellers, a típica "Bond Girl" vai mesmo deixar de existir à medida que a saga continua a evoluir no cinema.

As "Bond Girl" contemporâneas, acrescentou, têm um papel mais difícil do que o dela e muito menos impacto porque agora existem "tantas exigências" impostas pelo politicamente correto.

"A 'Bond Girl' tem de ficar bem de biquíni: era esse o papel dela ... A 'Bond Girl' da minha época já não existe porque não é apresentada dessa maneira. Hoje, nunca a veríamos de biquíni ao lado de Daniel Craig de fato, o departamento de relações públicas certificar-se-ia que isso não acontecesse", lamentou.

O 25º filme da saga chama-se "007: Sem Tempo Para Morrer" e tem estreia prevista nos cinemas para 25 de novembro, após ter sido forçado a cancelar 9 de abril por causa da COVID-19.

Ao lado de Daniel Craig no seu quinto e último filme como James Bond regressam Léa Seydoux, Naomie Harris, Jeffrey Wright, Christoph Waltz, Ben Whishaw e Ralph Fiennes. Estreiam-se Ana de Armas, Lashana Lynch e Rami Malek, este último como o principal vilão.

VEJA O TRAILER DE "007: SEM TEMPO PARA MORRER".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.