"Barbie", do estúdio Warner Bros., conquistou as bilheteiras norte-americanas e pelo mundo no seu fim de semana de estreia, arrecadando uns impressionantes 347 milhões de dólares (155 nos EUA e Canadá), enquanto a outra metade do evento cinematográfico do verão, o 'biopic' sombrio "Oppenheimer", da Universal Pictures, também teve grandes receitas, com 174,2 milhões (80,5 no mercado doméstico), segundo as estimativas da indústria no domingo.

Nos EUA e Canadá, foi a primeira vez que um filme teve uma estreia de mais de 100 milhões e outro de 50 ou mais.

Ninguém em Hollywood previu uma afluência tão impressionante que ajudou a criar um dos maiores fins de semana da história nas salas: para o primeiro esperavam-se entre 90 a 110 milhões, enquanto as previsões para o segundo andavam à volta dos 50 milhões.

Respetivamente com orçamentos de 145 e 100 milhões, as receitas dos próximos dias de ambos deverão "pagar" o investimento nas produções e campanhas de marketing.

Em termos de receita, este é o quarto maior fim de semana de todos os tempos e o maior desde "Vingadores: Endgame" em 2019.

Legiões de espectadores vestidos de rosa invadiram os cinemas para dar a "Barbie" a maior estreia de qualquer filme este ano - e a maior de todos os tempos para uma mulher diretora - segundo a Exhibitor Relations.

O tão esperado fim de semana cinematográfico "Barbenheimer" estimulou centenas de milhares de pessoas a ver os dois filmes, organizando as suas próprias sessões duplas.

O lançamento coincidente no mesmo dia dos dois filmes totalmente diferentes, mas muito aguardados - uma comédia sobre a boneca icónica da Mattel pronta para pintar o mundo de rosa e um drama histórico sobre J. Robert Oppenheimer e a invenção da bomba atómica - criou um fenómeno da cultura pop de baixo para cima que transcendeu o marketing individual de ambos.

Juntos, eles também deram um estímulo para os cinemas atingidos pela pandemia, bem como pela ascensão dos serviços de streaming.

"O subtexto da piada de 'Barbenheimer' é que não poderiam ser mais dois filmes mais diferentes", disse David A. Gross, da Franchise Entertainment Research, à France-Presse (AFP).

Ao mesmo tempo, acrescentou: "A indústria cinematográfica tem um comportamento histórico muito saudável de acomodar dois filmes grandes. Os espectadores aparecem quando são filmes muito desejados".

Gross salientou que a estreia de "Barbie" bateu recordes: "Nenhuma comédia de qualquer tipo estreou com mais de $85,9 milhões num fim de semana de 3 dias".

"Barbie tornou-se o que chamamos de filme zeitgeist", disse ele à AFP sobre o filme realizado por Greta Gerwig com Margot Robbie e Ryan Gosling.

"Oppenheimer", por sua vez, viu uma "abertura soberba", destacou.

De facto, para alguns analistas, a performance do filme realizado por Christopher Nolan quase é mais surpreendente, por causa da sua duração (três horas) e o tema.

Sessões duplas à "custa" de Tom Cruise e "Missão Impossível"

De acordo com estimativas da indústria, estima-se que cerca de 200 mil pessoas tenham comprado bilhetes para os dois filmes no mesmo dia só nos EUA e Canadá.

Emma McNealy, de 35 anos , foi uma delas.

"Ouvi dizer online que as pessoas planeavam fazer isso e pareceu-me engraçado", disse a gestora de conta à AFP. "Não estava a planeá-lo no início porque achava que mais ninguém quereria passar o dia inteiro a fazer isto, mas felizmente um amigo aceitou".

Enquanto os dois filmes alimentaram o interesse um pelo outro, foi "Barbie" que a atraiu para tentar a sessão dupla.

"Tenho certeza de que teria visto ['Oppenheimer'] eventualmente, mas não no primeiro fim de semana", explicou.

"Acho que muitas mulheres gostam que uma Barbie tenha ganho mais complexidade nesta narrativa, não é apenas uma coisa para adocicar.

Outros milhões provavelmente assistiriam aos dois filmes em dias separados.

"Esta foi uma experiência fenomenal para as pessoas que adoram filmes no grande ecrã", disse o presidente e CEO da Associação Nacional de Proprietários dos Cinemas, Michael O'Leary, em comunicado.

"Foi um fim de semana verdadeiramente histórico", salientou.

"Barbenheimer" deixou um enorme abismo entre os dois primeiros lugares de bilheteira do fim de semana e o terceiro lugar, ocupado por "Sound of Freedom": o controverso thriller de ação com Jim Caviezel e Mira Sorvino que causa grande impacto junto de um público mais conservador e que os seus críticos dizem ir de encontro às teorias da conspiração QAnon, arrecadou 20,14 milhões de dólares.

"Missão Impossível - Ajuste de Contas: Parte Um", o mais recente da longa saga protagonizada por Tom Cruise, arrecadou 19,5 milhões, menos do que os 25 esperados e uma queda de 64% nas bilheteiras em relação do fim de semana de estreia, sinal que foi uma grande vítima do "Barbenheimer" e da perda das salas IMAX para o filme de Christopher Nolan, mas também do sucesso inesperado de "Sound of Freedom", que já arrecadou 123,4 milhões nos EUA e Canadá desde a estreia a 4 de julho.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.