O projeto partiu do operador de câmara profissional Wim Michiels, fundador da empresa de aluguer de material cinematográfico e de filmagem submarina Lites, que afirmou, em entrevista à agência noticiosa espanhola EFE, que “a Bélgica é o lugar ideal para fazer filmes” e que, “ainda que não pareça, existe um grande mercado para as produções subaquáticas”.

A nova “cidade do cinema” belga, cuja inauguração está agendada para 02 de janeiro, já tem marcadas cerca de 20 filmagens por parte de produtores dos Estados Unidos da América, Canadá e da Europa.

A estrutura conta com três estúdios, dois deles dedicados a cenas aquáticas, de 1.200 e 1.700 metros quadrados respetivamente, sendo que o maior tem uma profundidade de nove metros, com capacidade para seis milhões de litros de água climatizada.

O preço estimado para uma semana de rodagem é de 36.000 euros.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.