O francês
Bertrand Mandico foi distinguido com o Grande Prémio Cidade de Vila Conde, e
Pedro Costa com o 1º Prémio da Competição Nacional, cada um no valor de 2.000 euros. Já o Prémio do Público Mateus Rosé Sparkling, no valor de mil euros, foi para
«Apele Tac», de Anca Miruna Lazarescu (Roménia/Alemanha).

Na competição nacional foram ainda distinguidos com Menções Honrosas
«Fratelli», de Gabriel Abrantes e Alexandre Melo, e
«Peixe Azul», de Tiago Rosa-Rosso.

Nesta competição recebeu o Prémio AIP para a Melhor Fotografia, ao qual a Fujifilm oferece mil metros de negativo cinematográfico,
«North Atlantic», de Bernardo Nascimento (Portugal/Reino Unido).

No total foram distribuídos cerca de uma dezena de primeiros prémios, incluindo o vencedor do 13º Videorun Restart que distinguiu
«Ele, ela», de João Madeira, Tiago Madeira, Tiago Roldão (Portugal). Este prémio consiste num valor pecuniário de 500 euros pelo Instituto Português da Juventude, a oferta de uma câmara GoPro HeroHD e um monitor LCD.

A curta-metragem assinada pelos três jovens cineastas recebeu também o Prémio Canon/Colorfoto que consiste num vale no valor de 500 euros e uma mochila Lowepro, tendo também ganhado o Prémio Restart no valor de 500 euros em formação, meios e espaços.

O Prémio para a melhor curta de Animação foi para Wakaranai Buta, do japonês Watsushi Wada, melhor Documentário para
«Get out of the car», do norte-americano Thom Andersen, e melhor Ficção para
«Petit Tailleur», do gaulês Louis Garrel.

O prémio para a melhor curta-metragem europeia, que inclui a nomeação para os Prémios do Cinema Europeu, na categoria de curta-metragem, organizados anualmente pela European Film Academy, foi para
«Dimanches», do belga Valery Rosier.

Na competição experimental o vencedor foi
«The Pushcarts leave eternety street», do norte-americano Ken Jacobs, tendo o júri distinguido com uma menção honrosa a curta
«Imperceptihole», de Lori Felker e Robert Todd (EUA)

«Release The Freq – Matta», de Kim Holm (Noruega), foi o vencedor do Prémio Vídeo Musical.

O curtas de Vila do Conde reuniu um grupo de 15 crianças entre os 06 e os 12 anos que distinguiu o filme
«Ormie», de Rob Silvestri (Canadá) como o Melhor Filme Curtinhas, e deram menção honrosa ex-aequo a
«Damned»
[/b], Richard Phelan (Reino Unido) e [b]«Maybe…», de Pedro Resende (Portugal/Estados Unidos).

O Prémio RTP2 Onda Curta, que é a aquisição dos direitos de exibição para o programa Onda Curta, da RTP2, foi em ex-aequo para «Apele TAC», de Anca Miruna Lazarescu, e
«Maska», de Quay Brothers (Polónia).

A curta-metragem
«Artur», de Flávio Pires (Portugal) que concorreu na secção «TakeOne!», arrecadou os prémios Kodak, no valor de 1.500 euros em produtos Kodak, Smiling, 1.500 euros em serviços de aluguer de equipamento, Restart, um vale em formação no valor de 500 euros na Restart Escola de Criatividade e Novas Tecnologias, Agência da Curta Metragem (CM), que lhe permite ser agenciado pela ACM, garantindo a sua inscrição num circuito internacional de festivais de cinema, RTP2 Onda Curta, aquisição dos direitos de exibição para o programa Onda Curta daquele canal.

Nesta competição foram distinguidos com menções honrosas as curtas «Mina de São Domingos», João Abecasis Fernandes (Portugal) e «Despedida», de Andrea Fernández.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.