O cineasta polaco Andrzej Zulawski morreu vítima de doença prolongada aos 75 anos, informou esta quarta-feira a Associação de Cineastas da Polónia.

O seu filho, Xawery, também realizador e argumentista, tinha antecipado no seu Facebook que o pai estava em fase terminal.

Realizador, ator e argumentista, Zulawski rodou muitos de seus filmes na França, entre eles "A Raiva do Amor" (1985), vencedor do prémio de melhor filme no Fantasporto.

Entre os títulos mais importantes que dirigiu estão "O Importante é Amar" (1975), que valeu o prémio César a Romy Schneider, "A Mulher Pública" (1984) e "As Minhas Noites são Mais Belas que os Vossos Dias" (1989).

O seu último filme foi "Cosmos", um drama com Sabine Azéma e Jean-François Balmer que estreou em Portugal em dezembro de 2015 e lhe valeu o prémio de melhor realização no Festival Internacional de Cinema de Locarno.

"É uma grande perda para o cinema polaco e mundial", declarou o crítico de cinema Janusz Wroblewski, que o descreveu como um realizador muito radical e inovador para a sua época.

"Elaborou a sua própria linguagem, muito pessoal e original. Era provocador e rompia com muitos mitos polacos. Introduziu o erotismo nos seus filmes. Agora são clássicos do cinema, mas na época eram obras de vanguarda", afirmou.

Andrzej Zulawski deixa três filhos, sendo um da atriz francesa Sophie Marceau, de quem se separou em 2001 e  dirigiu em "A Raiva do Amor", "As Minhas Noites são...", "La Note Bleue" (1991) e "A Fidelidade" (2000).

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.