A chefe da divisão de cinema da 20th Century Fox rejeita que o visão de futuro do cinema venha a ser o modelo oferecido por plataformas digitais como Netflix e Amazon.

Para Stacey Snider, os serviços de streaming não oferecem "vantagem distinta" a quem faz cinema ou vê cinema e os seus dias como a força dominante em Hollywood estão contados.

"Se se der um passo atrás numa perspetiva macro, realmente não acredito que exista uma vantagem distinta que as empresas FANG [Facebook, Amazon, Netflix e Google] ofereçam a quem faz cinema", disse numa conferência de investidores.

Para a televisão esta responsável encontra uma vantagem a sério: o " binge-watching" ou seja, poder ver os episódios das séries uns a seguir aos outros, sem intervalos, mas no cinema não existe um equivalente, o que a leva a dizer que "não existe nada melhor em ver um filme no Netflix ou Amaxon. Simplesmente não há".

Stacey Snider reconheceu que Fox Searchlight, uma divisão da Fox para distribuir filmes mais pequenos, está a alterar a estratégia no mercado para não ficar refém de "quaisquer pressões que estivessem a sentir da Amazon e Netflix inflacionarem os preços" nos leilões dos festivais de cinema.

Logo a seguir, arrasou as estratégia de promoção desses mesmos títulos, apontando as armas diretamente à Netflix.

"Não consegui encontrar, e não vou dizer os seus nomes, os filmes Netflix que era suposto ficarmos todos chateados por terem ido para a Netflix. Mostrem-me um artigo ou campanha que me chamem a atenção", desafiou.

"Não há nada sobre a experiência de os fazer [filmes] num ambiente massificado que apele aos cineastas. Isto não é uma suposição da minha parte — eu falo com eles", acrescentou.

Em breve, garante, os talentos da indústria "vão perceber que a Netflix fazer 50 filmes por ano não é uma vantagem".