John Williams festeja esta terça-feira 90 anos.

O lendário compositor americano escreveu muitas peças de concerto, uma sinfonia e até o hino dos Jogos Olímpicos de Los Angeles em 1984, além de ter sido durante muitos anos o maestro da Boston Pops Orchestra, mas o seu nome é principalmente associado à composição de bandas sonoras de alguns dos maiores filmes da história do cinema.

A sua gigantesca influência é reconhecida pelos seus pares: como recordou o American Film Institute ao anunciar a atribuição de um prémio pela carreira em 2015, "John Williams escreveu a banda sonora para as nossas vidas. Nota a nota, através de acordos e coros, o seu génio para casar música com filmes elevou a forma de arte para níveis sinfónicos e inspirou gerações de espectadores a serem enriquecidas pela magia dos filmes".

O seu nome é também indissociável da carreira de Steven Spielberg, a quem se mantém fiel mesmo depois de diminuir o ritmo de trabalho este século: apenas não trabalharam juntos em "A Cor Púrpura" (1985), que teve música de Quincy Jones; "A Ponte dos Espiões" (2015), onde Thomas Newman assumiu o seu lugar por causa de um ligeiro problema de saúde; e a nova versão de "West Side Story" (2021), que manteve a música de Leonard Bernstein e para onde sugeriu pessoalmente ao realizador David Newman para tratar dos arranjos e Gustavo Dudamel para conduzir a orquestra.

Nomeado 52 vezes para os Óscares, ficando apenas atrás de Walt Disney, recebeu ainda 25 Grammys, a distinção máxima na música americana.

No caso da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, os prémios foram pelas bandas sonoras de "Um Violino no Telhado" (1971, adaptação), "Tubarão" (1975), "A Guerra das Estrelas"(1977), "E. T. - o Extra-Terrestre" (1982) e "A Lista de Schindler" (1993).

Além de todos os episódios oficiais "Star Wars" (1977-2019), "Indiana Jones" (1981-2008) e os três primeiros de "Harry Potter" (2001-2004), na carreira estão outros importantes títulos seis décadas do cinema mundial: "O Vale das Bonecas" (1967), "A Aventura do Poseidon" (1972), "A Torre do Inferno" (1974), "Asfalto Quente" (1974), "Intriga em Família" (1976), "Encontros Imediatos do 3º Grau" (1977), "Domingo Negro" (1977), "Super-Homem" (1978), "A Fúria" (1978), "Os Salteadores da Arca Perdida" (1981) e as sequelas, "O Turista Acidental" (1988), "Nascido a 4 de Julho" (1989), "Sozinho em Casa" (1990), "Presumível Inocente" (1990), "JFK" (1991), "Parque Jurássico" (1993), "Sete Anos no Tibete" (1997), "O Resgate do Soldado Ryan (1998), "A.I. Inteligência Artificial" (2001), "Relatório Minoritário" (2002), "Guerra dos Mundos" (2005), "Munique (2005) e "Lincoln" (2012).

Em novembro, os acordes de John Williams regressam ao cinema com "The Fabelmans", o muito aguardado filme semi-autobiográfico de Spielberg sobre a sua infância.

Para 2023, está prometido o regresso para a banda sonora do quinto "Indiana Jones".

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.