O
Douro Film Harvest (DFH) é promovido pela
Entidade Regional Turismo do Douro, presidido por
Manuel Vaz, e tem direção artística do produtor e realizador
Ivan Dias. A pré-abertura do festival decorre no sábado, em Vila Nova de Gaia, com a antestreia europeia de
«Escaping Robert Parker», com a presença do realizador norte-americano Ed Burley.

Depois, na segunda-feira, ocorre a antestreia mundial do filme
«A Morte de Carlos Gardel», adaptado e realizado pela sueca
Solveig Nordlund, a partir do livro de António Lobo Antunes.

Com o Brasil como país homenageado, o evento vai destacar o futebol brasileiro com uma «maratona» de filmes a decorrer no âmbito do Foot Film Fest, no Porto.

O presidente da Turismo do Douro,
António Martinho, quer precisamente aproveitar o festival para atrair ao Património Mundial mais turistas brasileiros, porque o Brasil é o quinto mercado turístico de Portugal.

«Nós queremos consolidar o Brasil, isto é, queremos através do DFH mostrar o Douro ao mercado brasileiro, aos potenciais turistas», salientou.

O foco no Brasil trará ao Douro o ator
José Wilker, protagonista de obras como
«Dona Flor e os seus Dois Maridos» ou o «Bem Amado», e o realizador
Cacá Diegues, que terá uma mostra especial dedicada à sua obra, na qual se destacam os filmes
«Xica da Silva» e
«Tieta do Agreste».

Cacá e Wilker reúnem-se na produção
«O Maior Amor do Mundo», que integra a Ruby Selection e pode ser vista na quarta-feira, com a presença do ator brasileiro.

Nesta secção, tem estreia nacional o filme
«Lula, o Filho do Brasil», e podem ser vistas ainda as obras
«Cidade Baixa»,
«Orfeu Negro»,
«Carlota Joaquina, Princesa do Brasil».

Ivan Dias afirmou que a junção de cinema e futebol teve por objetivo mostrar às pessoas uma «realidade que tem influenciado o cinema atraindo, desta forma, novos públicos».

Em homenagem à atriz
Carmen Miranda, o festival estreia o filme «Alô Alô Carnaval!», comédia musical protagonizada pela artista nascida no Marco de Canavezes.

O DFH vai destacar ainda o mais antigo realizador português,
Manoel de Oliveira, atribuindo-lhe a secção LBV – Late Bottled Vintage e apresentando dois filmes: «Caça» e «Acto da Primavera».

O presidente do DFH, Manuel Vaz, referiu que o orçamento é de cerca de 450.000 euros, o mais reduzido de todas as edições do evento. Salientou que este é o «primeiro festival do mundo» descentralizado e itinerante, com passagem por Alijó, Pinhão, Favaios, Vidago e Penedono.

O evento incluiu ainda o Laboratório Audiovisual Ibero-americano, um encontro de profissionais para analisar novos fenómenos, contextos de financiamento, produção, distribuição de conteúdos cinematográficos e modelos de negócio.

O festival encerra com a antestreia em Portugal da mais recente obra de
Woody Allen,
«Meia-Noite em Paris».

@Lusa

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.