Sendo uma iniciativa da autarquia do distrito de Aveiro, em colaboração com o Cineclube de Avanca, o evento apresenta-se como focado "numa competição de longas-metragens entre a ficção e o documentário", reunindo obras premiadas nas últimas edições de cinco festivais de cinema: o de Avanca, o DocLisboa, o Fantasporto, o IndieLisboa e o LEFFEST.

O objetivo do Azeméis Film Festival é assim devolver à cidade a dinâmica de promoção cinematográfica que aí existia há algumas décadas, quando o Cineteatro Caracas e os Estúdios Gemini "atraíam multidões", diz o presidente da autarquia.

Joaquim Jorge Ferreira recorda que essas salas "tiveram um papel muito importante na exibição de cinema e divulgação dessa arte" ao nível regional, mas foram perdendo espectadores para as salas dos complexos comerciais devido à maior oferta dessas estruturas e acabaram desativadas por falta de receitas.

Foi graças ao estímulo proporcionado pelos cinemas da cidade, contudo, que aí surgiu o Cineclube de Azeméis, que, segundo o diretor do seu congénere atual de Avanca, António Costa Valente, teve em tempos "um grande número de sócios e um forte desempenho" no domínio da Sétima Arte, levando a que a produção local de cinema amador tivesse "uma fortíssima dinâmica" e projeção nacional e internacional.

Joaquim Jorge Ferreira espera que o novo "festival dos festivais" ajude a recuperar essa atividade.

Realça que o Cineteatro Caracas está a ser requalificado pela Câmara, que é a atual proprietária do imóvel, e acrescenta que os Estúdios Gemini, embora com gestão privada, continuam a ter atividade cultural regular, acolhendo, inclusivamente, a primeira edição do certame agora revelado.

"Tínhamos previsto lançar o festival de forma diferente, mas a pandemia estragou-nos a programação. Mesmo assim, preferimos não desistir e vamos arrancar com o evento já na próxima semana, contando que esta edição seja uma espécie de Ano 0 para depois, em 2021, termos uma primeira edição a sério", disse o autarca socialista.

A estreia do evento estará focada "numa competição de longas-metragens entre a ficção e o documentário", reunindo obras premiadas "no último ano" em cinco festivais de cinema: o de Avanca, o DocLisboa, o Fantasporto, o IndieLisboa e o LEFFEST.

Do programa constam cinco filmes, a começar por "De los nombres de las cabras", dos realizadores espanhóis Silvia Navarro e Miguel G. Morales, que com essa obra venceram o Indielisboa 2019".

Sob avaliação de um júri próprio, a concurso estará também "Tommaso", uma produção italiana que, assinada pelo realizador norte-americano Abel Ferrara, estreou em Cannes e foi premiada no LEFFEST 2019.

O Fantasporto 2020, por sua vez, acrescentará à competição o filme "Por detrás da moeda", rodado pelo português Luís Moya, e do Festival de Cinema de Avanca chegará "Eternal Winter", do cineasta húngaro Attila Szász.

Quanto à edição de 2019 do DocLisboa, estará representada com "Santikhiri Sonata", do realizador tailandês Thunska Pansittivorakul.

Além desses filmes, o Azeméis Film Festival contará ainda com workshops e debates, estando a participação nessas atividades sujeita a inscrição prévia e às normas da Direção-Geral da Saúde.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.