Paulo Branco vincou esse objetivo em declarações à Agência Lusa, no dia da inauguração de duas exposições de fotografia no Centro de Congressos do Estoril, que abrem oficialmente o festival.

«Temos uma multiplicação de espaços que permite a nós, organização, tentar captar mais público e propor mais filmes e mais encontros. Vamos ver se conseguimos gerir esta multiplicação de espaços e que o esforço nosso seja correspondido pelo público», disse.

Naquele espaço do Estoril estão patentes duas exposições de fotografia, inéditas em Portugal: uma do fotojornalista alemão
Kai Wiedenhofer, feita em 2009 na Faixa de Gaza, e outra do premiado diretor de fotografia britânico
Peter Suschintzky.

Na inauguração estiveram alguns dos convidados deste ano do festival e que atestam a transversalidade que Paulo Branco quer imprimir ao evento, para lá do cinema.

Por lá passaram os escritores
Don DeLillo e
JM Coetzee (Prémio Nobel da Literatura), o diretor de fotografia
Christopher Doyle e o ator norte-americano
Paul Giamatti.

Protagonista de «Sideways», Paul Giamatti participou ainda no recente filme
«Nos Idos de Março», de
George Clooney - que tem antestreia neste festival - e entrou no próximo filme de David Cronenberg, «Cosmopolis», a partir de um romance de Don DeLillo, e co-produzido por Paulo Branco.

Paul Giamatti terá um encontro com o público no sábado no Estoril, a propósito da antestreia do filme de George Clooney, e no domingo participará numa conversa com
David Cronenberg, também no Estoril.

Em Portugal pela primeira vez, Paul Giamatti teve tempo de passar hoje por Sintra e ficará mais alguns dias a convite do festival, uma vez que não tem agora qualquer projeto em mãos, disse hoje aos jornalistas.

Sobre «Nos Idos de Março», de George Clooney, descreveu-o como «um «thriller», não necessariamente político, mas quase um estudo de personagens».

Já «Cosmopolis», que deverá estar concluído em fevereiro, é «o projeto perfeito» para juntar David Cronenberg e Don DeLillo, disse Giamatti.

Não sendo o protagonista da história - esse papel cabe a Robert Pattkinson no papel de um milionário em Nova Iorque - Paul Giamatti afirmou que «Cosmopolis» será um filme «desafiante para o público».

O Lisbon & Estoril Film Festival terminará no dia 13 com uma dezena de antestreias de filmes internacionais e várias iniciativas relacionadas com arte - como uma exposição do artista plástico espanhol
Miquel Barceló na Torre de Belém - e com música - como as atuações do músico somali
K'naan e da atriz
Sofie Auster.

A par do Estoril, o festival decorrerá em Lisboa, nos cinemas Nimas e Monumental.

Haverá ainda iniciativas no Museu de História Natural e da Ciência, Faculdade de Letras, Discoteca Lux, Centro Cultural de Belém e Cinemateca Júnior.

Entre os filmes em antestreia contam-se «Um Método Perigoso», de David Cronenberg, «Carnage», de Roman Polanski, e «A Pele que Vivo», de Pedro Almodóvar, filmes que Paulo Branco disse serem o reflexo de «um ano excecional de cinema em termos de produção internacional, o que facilitou a escolha».

Os realizadores William Friedkin e Leos Carax são este ano alvo de homenagem do festival, que inclui também uma retrospetiva da carreira do realizador Wes Anderson.

No último fim-de-semana do festival são esperadas ainda as presenças do escritor Paul Auster e das escritoras Siri Hustvedt e Yasmina Reza, entre outros convidados.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.