Os filmes “David Byrne's American Utopia", de Spike Lee, e “American Rapstar”, de Justin Staple, vão ter estreia nacional no festival de cinema Porto/Post/Doc, que arranca no dia 20 de novembro, anunciou hoje a organização.

A sessão de abertura da sétima edição do festival de cinema do real Porto/Pos/Doc 2020 (PPD 2020) vai acontecer pelas 22:00, no Rivoli - Teatro Municipal do Porto, com a estreia nacional de “David Byrne's American Utopia”, um filme do realizador Spike Lee (USA), com 105 minutos de duração, e que é baseado no “disco e concerto” do músico norte-americano, avançou hoje à Lusa fonte da organização do evento cultural.

O festival termina a 29 de novembro com outra estreia nacional, mas desta vez com a película “MLK/FBI”, de Sam Pollard (EUA), que segue "Martin Luther King Jr. enquanto alvo duma investigação com laivos de perseguição pela instituição policial americana", lê-se no no sítio da Internet do PPD 2020.

No programa de competição de filmes Transmission, secção dedicada a olhar algumas das principais tendências do universo musical, e que este ano vai ter pela primeira vez um prémio, vão estar a competir cinco filmes sobre a música e o seu impacto no mundo em redor, entre os quais se encontram três estreias nacionais.

Com o lema “Entre a utopia americana e a tensão racial”, o programa Transmission vai apresentar “American Rapstar”, de Justin Staple (EUA/2020), “Dark City: Beneath the Beat”, de TT The Artist (EUA/2019), e “Welcome To The Dark Ages”, de Paul Duanne (Irland/ 2019), os três em estreia nacional.

A competição conta ainda com “White Riot”, de Rubika Shah (Reino Unido/ 2019), e “A Vida Dura Muito Pouco - Celebrando Obra de José Pinhal”, de Dinis Leal Machado (Portugal/2020).

O filme “American Rapster” vai abordar, por exemplo, os movimentos do Soundcloud Rap, o ritmo que marca as ruas de Baltimore, no estado de Maryland (EUA), mas os “processos criativos dos referenciais KLF”, a “ignição social e política levantada pelo movimento Rock Against Racism”.

A vida e obra de José Pinhal são outras histórias que vão ocupar as salas do Rivoli, Passos Manuel e Planetário do Porto, entre os dias 20 e 29 de novembro, na edição 2020 do Porto/Post/Doc, lê-se no comunicado de imprensa da organização do evento.

A edição deste ano do PPP tem como tema central “A Cidade do Depois”, que vai olhar para as transformações da representação cinematográfica das cidades ao longo do último século e cujo tema marcará também o ciclo de conversas do Fórum do Real.

"Na edição de 2020, o festival volta a olhar a história do cinema para debater o futuro e a sustentabilidade das cidades na era da globalização e dos modos como as habitamos, convidando realizadores, programadores e teóricos de todo o mundo e, claro, o grande público. Da vanguarda experimentalista aos documentários musicais, passando ainda por alguns dos clássicos incontornáveis, o mundo e o cinema cabem no Porto/Post/Doc".

“A Cidade do Depois” vai também ser o mote para um programa especial de filmes que incluirá obras de Pedro Costa, António Campos, Chris Marker, entre outros, lê-se no sítio da Internet do PPD 2020.

Apesar do espaço central continuar a ser o Rivoli – Teatro Municipal do Porto, o evento vai manter a sua programação nas salas do Passos Manuel e no Planetário do Porto e propõe, paralelamente, uma edição 'online' que disponibilizará grande parte da seleção em formato VoD.

O programa completo do PPD 2020, realizado em parceria com a Câmara Municipal do Porto, com apoio do Ministério da Cultura e do Instituto do Cinema e do Audiovisual e o mecenato da Fundação “la Caixa”/BPI, vai ser apresentado no dia 03 de novembro, em conferência de imprensa.

Os bilhetes por sessão custam cinco euros, mas os ingressos para estudantes custam dois euros e, para maiores de 65 anos, 3,5 euros.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.