Aos 30 anos, Henry Cavill está no topo do mundo, agora que chegou finalmente ao escalão A das estrelas de cinema pelo papel de Super-Homem no grande êxito que já é «Homem de Aço». Mas essa jornada fez-se com muitos avanços e recuos, com o ator a ver-se várias vezes quase garantido em papéis de figuras icónicas que à última hora foram parar a outras mãos. Por isso mesmo, a «Empire» britânica considerou-o então o «ator mais azarado de Hollywood».

Cavill estreou-se no cinema em 2002 com um papel secundário em «O Conde Monte Cristo», acumulando depois personagens de pouco relevo em várias produções cinematográficas e televisivas. O reconhecimento mais alargado chegaria em 2007 com a série «Os Tudors», que lhe valeria um Emmy em 2008, mas mesmo antes disso, a conjugação do seu talento e da sua beleza e presença física rapidamente o colocaram na rota de projetos de peso.

A primeira vez foi pela mão do realizador McG, que tinha efetivamente escolhido Cavill para ser o Super-Homem num versão cinematográfica do super-herói da DC com argumento de J.J.Abrams, que ele estava a preparar para estrear em 2004. A Warner acabou por cancelar o projeto e seria Bryan Singer a assinar o próximo filme da personagem, «Super-Homem - O Regresso», com Brandon Routh no papel principal.

A visibilidade que ganhou nesse período foi a suficiente para que um grupo alargado de fãs da saga Harry Potter fizesse um abaixo assinado para que fosse ele o escolhido para o papel de Cedric Diggory em «Harry Potter e o Cálice de Fogo» (2005), mas a produção escolheria Robert Pattinson. E essa não foi a única vez que este lhe arrebatou um papel: quando se estava a fazer o «casting» inicial para a adaptação ao cinema da saga «Twilight», a própria Stephenie Meyer, criadora dos livros, chegou a escrever que ele seria o «Edward perfeito», referindo-se ao papel protagonista do vampiro Edward Cullen. Só que quando as câmaras começaram a rodar, Cavill já era velho demais para a personagem e voltou a ser Pattinson a ficar com o papel.

Finalmente, em 2005, sabe-se que quando se estava a pensar no «reboot» de 007 em «Casino Royale», a escolha final sobre quem deveria encarnar James Bond esteve entre ele e Daniel Craig. Conta-se que Cavill seria o preferido do realizador Martin Campbell, mas a idade do ator voltou a ser um impedimento já que desta vez os produtores preferiam um intérprete mais velho e optaram por Craig.

Mas a carreira de Cavill não foi feita só de azares. O seu primeiro contacto com o estrelato deu-se no liceu de Stowe em que ele estudava. Foi aí que conheceu Russell Crowe que estava lá a rodar «Prova de Vida» e a quem pediu conselhos e que lhe conseguiu uma figuração naquele filme. Treze anos depois, o mesmo Russell Crowe interpreta agora o pai de Henry Cavill no filme «Homem de Aço».