Após as críticas pela história banal, efeitos especiais de segunda gama, refilmagens e dois realizadores, Zack Snyder e Joss Whedon (que fez dois "Vingadores") com visões claramente diferentes, chegou ao fim o percurso comercial de "Liga da Justiça" nas salas de cinema nos EUA.

Com isso, a confirmação das piores notícias para o estúdio: é oficialmente o filme do universo cinematográfico da DC Comics com menos receitas de bilheteira.

Num caso em que a soma das partes, ou, neste caso, dos super-heróis, não se refletiu nas bilheteiras, a formação composta por Batman (Ben Affleck), Super-Homem (Henry Cavill), Mulher-Maravilha (Gal Gadot), Flash (Ezra Miller), Aquaman (Jason Momoa) e Cyborg (Ray Fisher) ficou pelos 229 milhões de dólares.

O valor é claramente uma desilusão face às expectativas e fica muito longe dos feitos dos "Vingadores" da rival Marvel: o primeiro filme (2012) chegou aos 623,3 milhões nos EUA e "A Era de Ultron" aos 459 (2015).

No outro extremo da DC Comics , "Mulher-Maravilha", também do ano passado, lidera com 412,5 milhões, e até o muito criticado "Batman v Super-Homem: O Despertar da Justiça" (2016) está em segundo lugar com 330.

Seguem-se "Esquadrão Suicida" (2016) com 325,1 e "Homem de Aço" (2013) com 291.

A nível mundial, "Liga da Justiça" também está em último, com 657,9 milhões, e já não deve chegar aos 668 de "Homem de Aço" pois está em exibição em poucos países. Aqui, o mais rentável do grupo é "Batman v Super-Homem", com 873,6.

As atenções viram-se agora para o próximo da DC: "Aquaman" chega em dezembro.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.