O pianista e «showman» Liberace foi uma das figuras mais populares do entretenimento norte-americano entre as décadas de 50 e 70, um artista tão conhecido pelo seu virtuosismo ao piano como pela extravagância da sua imagem e do seu estilo de vida.

Steven Soderbergh quis levar a vida do artista ao cinema mas, mesmo com o peso do seu nome e de um elenco que integrava Michael Douglas e Matt Damon, viu goradas as suas tentativas de financiamento para uma estreia no grande ecrã. Isso levou-o a aceitar que o filme fosse produzido pelo canal televisivo HBO, que não tem medo de apostar em temas mais arrojados.

O risco aqui era o tema da homossexualidade: a fita adapta o livro «Behind the Candelabra: My Life With Liberace», uma autobiografia de Scott Thorson, que viveu durante cinco anos com o artista, na segunda metade da década de 70. Em 1982, Thorson processaria Liberace, segundo ele devido à promiscuidade do pianista e à sua própria dependência das drogas, que teria sido provocada pelas cirurgias plásticas que Liberace o forçara a fazer.

Michael Douglas e Matt Damon interpretam, respetivamente, Liberace e Thorson, encabeçando um elenco que integra ainda nomes como Rob Lowe, Paul Reiser, Dan Aykroyd, Scott Bakula e Debbie Reynolds. O argumento é da autoria de Richard LaGravenese ( «O Rei Pescador») e Steven Soderbergh tem aqui o seu último filme como realizador, tendo já anunciado que iria deixar de fazer filmes, pelo menos temporariamente, para se dedicar à pintura.

«Behind the Candelabra» tem estreia agendada para maio nos EUA, no canal HBO.