Após a posse de armas de fogo, a guerra norte-americana ao terrorismo e o sistema de saúde público dos EUA,
Michael Moore vira-se para o capitalismo por inteiro em
«Capitalism: A Love Story», na tentativa de encontrar as razões da crise financeira que está a minar as economias mundiais desde 2007.

A administração Bush, claro, continua a ser o foco principal das suas investidas, já que o filme se foca também na transição para a administração Obama, que também não deve escapar ileso da película, que escalpelizará ainda os recentes pacotes de estímulo à economia criados recentemente pelo governo norte-americano.

Michael Moore, que venceu o Óscar de Melhor Documentário por
«Bowling for Columbine» e a Palma de Ouro em Cannes por
«Farenheit 9/11», é reconhecido pelo grau de humor que injecta nos seus documentários e pela grande dose de subjectividade e manipulação dos mesmos, o que lhe tem valido críticas e admiração em iguais doses.

O filme vai ser exibido nos Festivais de cinema de Toronto e de Veneza, antes da estreia mundial, no início de Outubro.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.