A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas manteve tudo como está na corrida ao Óscar de Melhor Filme, não mudando as regras por causa das plataformas de streaming.

O Conselho de Governadores reuniu-se na terça-feira à noite e não mudou a regra 2, que define que um filme fica elegível para os Óscares se for exibido num cinema comercial no condado de Los Angeles durante pelo menos sete dias e três sessões diárias, podendo ser lançado no primeiro dia também noutros meios, por exemplo em streaming.

Na última cerimónia ficou claro que Hollywood sente a ameaça da Netflix, que venceu quatro estatuetas, três delas para o filme "Roma", do mexicano Alfonso Cuarón.

Em março, constou que o consagrado realizador Steven Spielberg, que pertence ao Conselho, iria propor que os filmes produzidos e exibidos pela Netflix não fossem selecionáveis para os Óscares e sim para os Emmy, os grandes prémios da TV americana.

Em comunicado, o presidente da Academia esclareceu que a organização apoia a estreia nas salas como parte essencial da arte cinematográfica e continua a debater as "profundas alterações que ocorrem na nossa indústria".

A Academia optou por fazer pequenas alterações noutras categorias para a 92ª cerimónia de 9 de fevereiro, a maior das quais passa pela categoria de Filme Estrangeiro, que passará a chamar-se Filme Internacional: o Conselho esclarece que a designação anterior era considerada desatualizada pela comunidade global de cinema e a nova é mais representativa e promove uma visão mais positiva e inclusiva, além de destacar a arte cinematográfica como algo universal.

Na mesma categoria, também sobe de nove para dez o número de finalistas de onde serão escolhidos os cinco filmes nomeados.

O Óscar de Caracterização também passará a ter cinco nomeados em vez de três e a lista de finalistas passa de sete para dez filmes.

O Óscar para Melhor Filme de Animação também será entregue mesmo que não existam oito filmes lançados nos cinemas, como estabelecia a regra antiquada agora abandonada. Os nomeados também passam a ser automaticamente escolhidos pelos membros das secções de Animação e Curtas de Animação. Os outros membros da Academia terão de se candidatar para participar nesse processo.

As curtas em imagem real ou animação agora apenas precisam de estrear no condado de Los Angeles ou no de Nova Iorque e não em ambos para se qualificarem para os Óscares.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.