Esta quinta-feira (12), a organização do Festival de Cannes anunciou a seleção oficial (ainda não completamente fechada) da 71ª edição, que decorrerá entre 8 e 19 de maio, com a presença de apenas três mulheres realizadoras na secção competitiva para a corrida à Palma de Ouro.

A organização diz que a seleção oficial apenas reflete a baixa representação das mulheres na indústria.

A fraca representatividade não é de agora: ao longo de 71 edições, as cineastas tiveram uma participação limitada no festival.

Vencedores

Dos 268 cineastas cujos filmes levaram os principais prémios do festival (nos últimos anos, a Palma de Ouro, o Prémio do Júri e o Grande Prémio), 11 eram mulheres, ou seja, 4% do total, segundo uma contagem da AFP.

A neozelandesa Jane Campion é a única a ter conquistado a Palma de Ouro, com "O Piano" (1993), além de ter obtido o prémio de melhor curta-metragem por "Peel" (1982).

Só mais uma mulher conta com dois grandes prémios: a iraniana Samira Majmalbaf, que recebeu o Prémio do Júri em 2000 ("O Quadro Negro") e em 2003 ("Às Cinco da Tarde").

A última laureada foi a italiana Alice Rohrwacher, Grande Prémio em 2014 por "O País das Maravilhas".

Quanto aos prémios de melhor realização e melhor argumento, há quatro mulheres entre 111 vencedores em mais de 70 anos, ou seja, 3,5%.

E metade destas recompensas foram atribuídas no ano passado: a americana Sofia Coppola, como melhor realizadora por "O Estranho Que Nós Amamos", e a britânica Lynne Ramsay, com o melhor argumento por "You Were Never Really Here".

Nomeações

Poucos prémios significam também poucas nomeações.

Entre os mais de 1.780 cineastas cujos filmes foram selecionados desde 1946, há 83 mulheres (4,7%).

Este ano três mulheres, entre 18 cineastas, competirão na seleção oficial, o que confirma a tendência dos últimos quatro anos: uma realizadora para cada sete.

Mas em seleções relativamente recentes, como 2012 e 2010, só havia filmes dirigidos por homens.

O Festival argumenta, em sua defesa, que a seleção oficial é apenas um reflexo da baixa representação das mulheres na realização de filmes.

Júri

Este ano, a atriz australiana Cate Blanchett estará à frente do júri, sendo a 12ª presidenta em 71 edições e a primeira desde Jane Campion, em 2014.

No total, houve 166 mulheres entre os 738 membros que integraram todos os júris, ou seja, mais de uma em cada cinco.

Desde 2013, há uma quase paridade no júri, composto por nove membros.

Em duas edições as mulheres estiveram em maior número que os homens (2009 e 2014), e em outras duas estiveram ausentes (1947 e 1954).

Fonte: site oficial do Festival de Cannes, contagem da agência AFP.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.