Após o western sangrento "Os Oito Odiados" em 2015, o próximo filme de Quentin Tarantino regressa ao "local do crime" com um caso que chocou o mundo nos anos 1960: os brutais assassinatos da "família Manson".

The Hollywood Reporter avançou em exclusivo que o cineasta de "Cães Danados" e "Pulp Fiction" escreveu um argumento baseado no célebre assassinato de cinco pessoas, incluindo a atriz Sharon Tate, mulher do realizador Roman Polanski, em 1969, por quatro seguidores de Charles Manson.

O projeto está agora a começar a ser apresentado aos estúdios para chegar aos acordos de financiamento e distribuição e o pacote com os atores pode ser de luxo: o Deadline Hollywood avança que Tarantino já se encontrou com Margot Robbie para falarem do papel de Sharon Tate e que Samuel L. Jackson, ator habitual do realizador, também terá uma personagem muito relevante.

Outro reencontro poderá ser com Brad Pitt, após "Sacanas Sem Lei" em 2009, que seria o detetive encarregue da investigação do caso.

Existem ainda versões divergentes sobre o envolvimento de Jennifer Lawrence.

Charles Manson ordenou aos seus seguidores que atacassem os residentes de uma casa em  Benedict Canyon (Los Angeles), pensando que era de um produtor discográfico que o tinha rejeitado. Durante várias horas na noite de 8 de agosto de 1969, usando armas e facas, quatro deles mataram as cinco pessoas que estavam numa festa, incluindo Tate, que estava grávida de oito meses.

Dois anos mais tarde, Manson e outros cúmplices foram condenados a prisão perpétua por esse e outros assassinatos cometidos nesse verão.

A intenção será começar a rodagem no verão de 2018. Segundo várias fontes, ele está a dar os toques finais no argumento, que terá uma originalidade: será o primeiro formalmente baseado numa história verídica.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.