O filme de Trueba arrebatou o prémio principal à comédia «La Gran Familia Española», de Daniel Sánchez Arévalo, ao thriller «Caníbal», de Manuel Martín Cuenca, e aos dramas «La Herida», de Fernando Franco, e «15 Años y Un Día», de Gracia Querejeta, na cerimónia anual que premia os melhores do cinema espanhol.

«Vivir es Fácil con Los Ojos Cerrados» connquistou seis troféus, incluindo os de Melhor Realizador ( David Trueba), Melhor Ator ( Javier Cámara) e Melhor Argumento Original. Ainda mais troféus teve «Las Brujas de Zugarramurdi», de Alex de la Iglesia, que conquistou oito Goya, incluindo para Melhor Atriz Secundária (Terele Pávez) e a grande maioria das categorias técnicas.

Eis os principais vencedores da 28ª edição dos prémios Goya:
Melhor Filme: «Vivir es Fácil con Los Ojos Cerrados», de David Trueba
Melhor Realizador: David Trueba por «Vivir es Fácil con Los Ojos Cerrados»
Melhor Filme Iberoamericano: «Azul y no tan Rosa» de Miguel Ferrari (Venezuela)
Melhor Ator: Javier Cámara por «Vivir es Fácil con Los Ojos Cerrados»
Melhor Atriz: Marian Álvarez por «La Herida»
Melhor Ator Secundário: Roberto Álamo por «La Gran Familia Española»
Melhor Atriz Secundária: Terele Pávez por «Las Brujas de Zugarramurdi»
Ator Revelação: Javier Pereira por «Stokholm»
Atriz Revelação: Natalia de Molina por «Vivir es Fácil con Los Ojos Cerrados»
Melhor Canção Original: «Do you really want to be in love?» de Josh Rouse para «La Gran Familia Española»
Melhor Argumento Original: David Trueba por «Vivir es Fácil con Los Ojos Cerrados»
Melhor Argumento Adaptado: Alejandro Hernández e Mariano Barroso por «Todas las Mujeres»
Melhor Filme Europeu: «Amor» de Michael Haneke
Melhor Filme de Animação: «Metegol» de Juan José Campanella (Argentina-Espanha)