Foi em lágrimas que Zoe Saldana pediu desculpa numa entrevista por ter entrado em "Nina", um filme de 2016 sobre Nina Simone.

Escrito e realizado por Cynthia Mort, o "biopic" focava-se na carreira e ativismo política da artista, nomeadamente o período em que viveu na França, onde faleceu em 2003.

Inédito nos cinemas portugueses, a sua fidelidade aos factos foi contestada, nomeadamente a decisão de mostrar uma relação romântica que a família diz que "nunca existiu" com o assistente pessoal Clifton Henderson, que seria homossexual.

Já a atriz de origem dominicana e porto-riquenha interpretou Nina Simone com maquilhagem para escurecer a pele e uma prótese nasal, o que foi muito criticado assim que apareceram as primeiras fotografias oficiais do filme.

Mas o "casting" já tinha sido mal recebido por fãs e membros da família de Nina Simone assim que foi anunciada.

O verniz estalou: Zoe Saldana e a versão "demasiado branca" de Nina Simone
O verniz estalou: Zoe Saldana e a versão "demasiado branca" de Nina Simone
Ver artigo

A filha da cantora, Lisa Simone Kelly, chegou a declarar ao New York Times que "a minha mãe foi criada numa altura em que lhe disseram que o seu nariz era muito largo, a sua pele demasiado negra. Em termos de aparência, esta não foi a melhor escolha".

O lançamento do primeiro trailer e poster em março de 2016 aumentou a controvérsia, com acusações particularmente sensíveis de 'blackface' – numa referência aos atores que, em meados do século XIX, pintavam a cara de preto e representavam estereótipos de negros –, alegadamente perpetuando o "branqueamento de Hollywood", quando o trabalho de Nina Simone se centrava na sua identidade física como uma mulher negra nos EUA.

VEJA O TRAILER DE "NINA".

Alvo de ataques pessoais violentos nas redes sociais na época, Zoe Saldana respondeu que se sentia desconfortável por discutir o tema porque não foi criada para ver cor e que a quantidade de comentários negativos que ia receber não era importante.

A resposta é diferente em 2020.

"Devia ter feito tudo o que estava ao meu alcance com a influência que tinha há 10 anos - que era uma influência diferente, mas não deixava de ser uma influência -, devia ter tentado tudo ao meu alcance para que fosse uma mulher negra a interpretar uma mulher negra excecionalmente perfeita", explicou agora a estrela de "Avatar" e "Guardiões da Galáxia" numa entrevista com Steven Canals, co-criador da série "Pose".

"Nós crescemos. É doloroso. Naquela época, pensei que tinha a permissão porque era negra, e sou, mas tratava-se de Nina Simone e a Nina teve uma vida e um percurso que deveria ter sido, e deve ser, honrada até ao detalhe mais específico", reforou.

Dizendo estar muito arrependida, Zoe Saldana defendeu que Nina Simone "merecia mais" e "outra pessoa deveria dar um passo à frente" num novo projeto.

"Só quero que a história dela seja contada e da forma correta porque ela merece e a América merece", defendeu.

A parte em que se fala de "Nina" surge por volta dos 34m27s no vídeo dos bastidores da entrevista que a atriz partilhou nas redes sociais.

Se não conseguir ver o post, clique aqui.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.