Conhecido como um apaixonado pelo mar, Eddie Vedder foi para o Havai em busca de inspiração para o seu segundo álbum a solo. Trocando o registo da guitarra pelo do ukulele, instrumento introduzido no Havai por portugueses no século XIX, o vocalista dos Pearl Jam aproveita o tradicional instrumento havaiano para cantar sobre o amor.

Com uma carreira musical de mais de duas décadas, o músico norte-americano revela neste trabalho que não é refém do seu passado e que continua a evoluir como artista. Com canções curtas e que prendem a atenção pelas letras inspiradas, Eddie Vedder mostra que não é necessário uma grande estética musical para passar uma mensagem com eficácia, neste caso, uma mensagem de amor.

O álbum arranca com uma vigorosa versão de «Can´t Keep», primeira faixa do álbum «Riot Act», dos Pearl Jam, aqui numa versão mais crua, onde a voz complementa harmoniosamente o ataque às cordas do “cavaquinho havaiano”.

Em «Sleeping By Myself» é relatada a história de um amor perdido por alguém que irá adormecer na solidão da espera, e aqui o ukulele acompanha com poucos acordes o lamento triste do cantor.

A temática da solidão e do amor perdido prossegue em «Without You», com Vedder a preferir curar cicatrizes nostálgicas do passado em vez de desistir do seu amor, relembrando os desejos não correspondidos de uma relação onde houve devoção total.

Em «Goodbye», o vazio de um coração que partilhou metade de uma vida tenta encontrar palavras para se despedir. A sensação de perda é vincada pela voz de Vedder, que busca uma forma de redenção na linha do horizonte.

No tema «Longing to Belong» começa a brilhar uma romântica esperança de reencontro com o amor. O registo em falsete de Eddie Vedder, acompanhado por um violoncelo, indica um vislumbre de uma mudança na maré. «Tal como quando o vento se cansa, o mar acalma», canta Vedder no tema que serve de single para o álbum.

Chan “Cat Power” Marshall surge em «Tonight you Belong to Me», fazendo dueto com Eddie Vedder numa das mais doces canções do álbum. As vozes em harmonia, acompanhadas pelo ukulele, criam um ambiente amoroso e ternurento.

Eddie Vedder fecha o álbum com outra pérola, o clássico «Dream a Little Dream», canção imortalizada por artistas como Ella Fitzgerald, Louis Armstrong ou Nat King Cole. Nesta versão, o registo vocal de Vedder assemelha-se à voz cavernosa e melancólica de Tom Waits para se despedir com serenidade de uma tempestade vivida no fundo do mar.

Com alguns membros dos Pearl Jam dispersos em projectos paralelos (Matt Cameron regressou aos Soundgarden para gravar o primeiro álbum de estúdio em mais de 15 anos), Eddie Vedder aproveitou bem este hiato na banda para dar continuidade à sua carreira a solo enquanto não há sucessor de «Backspacer» (2009).

Ukulele, um instrumento introduzido no Havai por emigrantes portugueses

O ukulele é um instrumento tradicional havaiano que teve a sua origem no cavaquinho português. No final do século XIX, muitos portugueses das ilhas da Madeira e dos Açores emigraram para o Havai, para trabalhar nas plantações de açúcar, e levaram o cavaquinho como companheiro de viagem. Os autóctones do Havai aderiram o som do cavaquinho e deram-lhe o nome de «ukulele», que significa «pulga saltitante» no idioma havaiano, devido à sua forma peculiar de tocar.
Segundo um relato descrito na revista «Paradise of the Pacific» (Janeiro de 1922), o cavaquinho foi introduzido no Havai pelo madeirense João Fernandes no dia 23 de Agosto de 1879. O emigrante português chegou a Honolulu a bordo do navio Ravenscrab, e quando desembarcou começou a tocar as canções com que entretivera os companheiros de viagem.
O instrumento português rapidamente ficou popular entre os havaianos que o integraram em danças, festas e serenatas locais.

@Eduardo Santiago

Videoclip de «Longing to Belong»:

Videoclip de «You're True»:

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.