O concerto de ontem, no Musicbox, há muito tempo esgotado, colocou em evidência este lado agridoce dos Future Islands. Por mais que as músicas tenham sido servidas em bases melodiosas de synth pop, com baixos ritmados a evocarem aqui e ali alguns dos maiores nomes do pós-punk, como servem de exemplo "Back in the Tall Grass", com um quê de Peter Hook, e "A Song For Our Grandfathers", a relembrar as linhas mais calminhas dos Cure, Herring fez questão de quebrar a harmonia com o seu berro gutural, capaz de fazer tremer a terra e afastar os demónios maléficos que se possam concentrar em seu redor. Puro exorcismo. De meter inveja a muitas vozes do universo do hardcore e afins. Sem grandes abusos, sem muito exibicionismo, tudo equilibrado e dentro dos limites do bom senso - em entrevista recente à "GQ", o vocalista explicou que a a sua presença em palco tem que que equilibrar, de igual forma, o seu lado mais gracioso e o primata. "O intuito é despoletar reações através de contrastes acentuados", acrescentou. Pois diga-se que a balança de Samuel Herring foi calibrada à mais ínfima unidade.

Cerca de hora e meia - foi o tempo que durou o concerto dos Future Islands. No entanto, não foi preciso tanto tempo para o coletivo norte-americano conquistar o público português - nem pouco mais ao menos: à chegada a "A Dream of You and Me", terceiro tema do alinhamento, retirado do aclamado "Singles", a plateia já balançava rendida aos ritmos dançantes da banda (com especial foco no baixo) e cantava as letras com elevado conhecimento de causa. Mas houve outros fatores a contribuírem para que a noite de ontem ficasse para a memória: poucos telemóveis no ar, total desprezo pelo chamamento obsceno das redes sociais, amor à música e aos anfitriões da noite. Sem modas, sem a preocupação de fazer inveja aos colegas de trabalho no dia a seguir. Aqueles que se dirigiram ontem ao Musicbox tinham um e apenas um objetivo: dançar, saltar, cantar e aproveitar o momento.

Herring teve essa noção e mostrou-se comunicativo, introduzindo a maior parte das músicas e tecendo os rasgados elogios que qualquer português que se preze gosta de ouvir. Escusado será dizer que "Seasons (Waiting on You)", o famoso single de "Singles", que, certo dia, numa atuação no programa "Late Show With David Letterman", catapultou o coletivo para a ribalta, incendiou por completo sala lisboeta, com coros em uníssono, saltos e loucura desmedida - momento pautado, claro, pela habitual ginga do vocalista que já se tornou uma imagem de marca. Os restantes destaques da noite foram para "Walking Trough That Door", "Sun in the Morning", "Before the Bridge", "Spirit" e "Fall From Grace". Belíssimo concerto.

Texto: Manuel Rodrigues

Fotografias: Alípio Padilha / Musicbox

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.