“São construídas a partir de caixas [de charutos] que encontro, que compro nas feiras da ladra, na vandoma e, por vezes, que peço a lojas que vendem tabaco, o que é difícil de conseguir pois o consumo de charutos não é muito elevado em Portugal”, explica o criador dos instrumentos, Emanuel Santos, à agência Lusa.

O artista plástico e também cenógrafo começou a reutilizar este material quando ainda estudava na Faculdade de Belas Artes, após a participação numa peça do Teatro Universitário do Porto (TUP). Surgiu então a ideia de produzir um instrumento que pudesse utilizar no espetáculo.

“Numa das criações do TUP, 'Alan', inspirada no universo do artista Tom Waits, fiz uma pesquisa e encontrei este género de guitarras. Pareceu-me fazer todo o sentido construir uma para o espetáculo. Como sabia tocar um pouco, surgiu a hipótese de atuar ao vivo e construí aí a minha primeira”, contou Emanuel Santos.

No quarteirão Miguel Bombarda, onde também estará presente a exposições de Iva Viana, o artista de 33 anos pretende dar a conhecer a musicalidade produzida pelas “Cigar Box Guitars Santa Cecília” e a história destes instrumentos artesanais que, nos anos 30, se tornaram parte da cultura popular americana.

“O que pretendo é dar a conhecer este tipo de instrumentos. Apesar de serem característicos e particulares, produzem som. Quero que as pessoas os experimentem e me deem, eventualmente, sugestões para que os possa reformular e melhorar”, contou.

As oito guitarras de Emanuel Santos são fabricadas manualmente a partir das caixas de madeira, que funcionam como caixa-de-ressonância do instrumento. As maiores têm cerca de 80 centímetros de comprimento e as menores 50.

“Não faço nenhuma alteração na caixa, embora, por vezes, tenha de restaurar aquelas que estiverem muito danificadas, mas que vejo terem potencial. Elas ditam o tamanho e a dimensão do comprimento da corda. Isso depois difere no tom da guitarra. Por muito que queira ou tente, não há nenhuma que vá soar igual à anterior ou à seguinte”, explicou.

A história da reutilização das caixas de charutos - que surgem aproximadamente em 1840 durante a Guerra Civil Americana – passa pela construção de violinos, guitarras e banjos, dando azo ao surgimento das primeiras bandas de blues. A Grande Depressão nos anos 30, marca o ressurgimento destes instrumentos artesanais.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.