Nestas transcrições podem ler-se as declarações de Richard Senneff , paramédico em Los Angeles,que afirma que Conrad Murray, médico da lenda pop, lhe disse: “Ele não tem problemas. Ele está bem. Esteve a praticar toda a noite. Só o estou a tratar devido à desidratação”. Isto enquanto Jackson já jazia morto.

Senneff, que foi o primeiro a chegar ao local, após um telefonema dum guarda para o número de emergência, também acha que Murray lhe mentiu sobre as drogas que administrou ao cantor. Inicialmente terá dito que o músico “não tinha tomado nada”. Mas depois voltou atrás na sua palavra e declarou que lhe tinha dado lorazepam, medicamento para combater a ansiedade, para o “ajudar a dormir”.

Senneff também afirmou que, posteriormente, viu Murray a retirar algumas garrafas do quarto e que o viu a praticar reanimação cardiopulmonar na cama, mesmo depois dos operadores do 112 lhe terem indicado para o mover para o chão.

Murray declarou-se inocente da acusação de homicídio involuntário. Se acusado, poderá ter de enfrentarquatro anos de prisão.

Paulo Costa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.