Sara Tavares morreu ao final da tarde deste domingo aos 45 anos, no Hospital da Luz, em Lisboa, vítima de cancro, confirmou fonte da família à Agência Lusa. A cantora tinha sido diagnosticada com um tumor no cérebro há mais de uma década.

A cantora soma duas décadas de carreira na música portuguesa de raiz africana e multiplicou-se em projetos e colaborações paralelas com outros artistas, como Capicua e Branko.

Sara Tavares nasceu em Lisboa, em 1978 e tinha ascendência cabo-verdiana. A cantora tornou-se conhecida do grande público quando venceu o programa da SIC "Chuva de Estrelas" em 1994 com uma interpretação de Whitney Houston. Tinha apenas 15 anos quando venceu o concurso.

No mesmo ano, venceu o Festival RTP da Canção com “Chamar a Música”, de Rosa Lobato de Faria e João Oliveira. Na Eurovisão conseguiria alcançar o oitavo lugar com o tema.

Sara Tavares e Rosa Lobato de Faria
Em 1994, ao lado de Rosa Lobato de Faria

Em 1996 estreou-se discograficamente com “Sara Tavares & Shout!”. Cantou em 1999 o tema "Solta-se o Beijo" da Ala dos Namorados.

Em 1999 editou o álbum “Mi Ma Bô”, no qual propunha uma sonoridade de fusão afro-pop-soul. O disco foi gravado em França e produzido pelo franco-congolês Lokua Kanza, tendo vendido em Portugal um número de cópias que lhe valeu o galardão de Disco de Ouro.

“Balancê” é o título do terceiro álbum e tornou-se no seu cartão-de-visita internacional, tendo Sara Tavares sido nomeada como Artista Revelação as prémios BBC Radio 3 World Music, em 2007. Em Portugal, as vendas e “Balancê” valeram-lhe um Disco de Platina.

Em 2008 editou o DVD “Alive in Lisbon” e em 2011 Sara Tavares, depois de ter ultrapassado problemas de saúde que a forçaram a interromper a carreira, recebeu Prémio de Melhor Voz Feminina nos Cabo Verde Music Awards e colaborou em estúdio com vários artistas, nomeadamente os Buraka Som Sistema.

Em 2009, a artista viu-se obrigada a fazer uma pausa na sua carreira quando foi diagnosticada com um tumor no cérebro.

Em 2011, recebeu Prémio de Melhor Voz Feminina nos Cabo Verde Music Awards e no ano seguinte deu continuidade à digressão internacional “Xinti”, título do álbum editado em 2009, que lhe valeu o Prémio Carreira do África Festival na Alemanha.

Em 2012, deu continuidade à digressão internacional “Xinti”, título do álbum editado em 2009, e que lhe valeu o Prémio Carreira do África Festival 2012, na Alemanha.

Em 2017 lançou o seu quinto e último álbum, "Fitxadu", que significa em crioulo cabo-verdiano “fechado”. Já em 2018 esteve nomeada para os Grammy Latino com o quinto álbum, "Fitxadu" (2017), no qual aprofundou a relação com a música cabo-verdiana, contando com Manecas Costa, Nancy Vieira, Toty Sa'Med e Kalaf Epalanga entre os convidados.

Ao longo do último ano, Sara Tavares tinha vindo a divulgar alguns temas novos, ao fim de cinco anos de silêncio. O mais recente tema, intitulado “Kurtidu”, saiu em setembro passado pela Sony Music.

A par da carreira em nome próprio, Sara Tavares colaborou com vários nomes da música portuguesa e lusófona, nomeadamente Ala dos Namorados, Dany Silva, Paulo Flores, Buraka Som Sistema e Carlão.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.