De Nova Iorque, Pharoahe Monch, um dos mais extraordinários representantes do hip-hop atual. Muitíssimo querido pelos pares (Eminem tem-no como ídolo), dada a riqueza e qualidade intimista e confessional das suas rimas e beats, mantém-se como um precioso tesouro. A solo, tem um repertório constituído por quatro obras, que lhe garantem um lugar na história do género: “Internal Affairs” (1999), “Desire” (2007), “W.A.R. (We Are Renegades)” (2011) e “PTSD: Post Traumatic Stress Disorder” (2014). Corrosivo, quase impiedoso, as suas letras – e a forma como as projeta – criam um impacto intenso e muito emocional.

Stereossauro. É um génio do scratch - foi campeão do mundo com os Beatbombers, projeto que partilha com DJ Ride - e estreia-se com o LP “Bombas em Bombos”. O primeiro avanço, com a colaboração de Gonçalo Santos e de Helena Veludo, chama-se Hold On.

Da Maia, os Salto. Formados pelos primos Gui Tomé Ribeiro e Luís Montenegro, ganharam projeção com o single Deixar Cair. A música, e o LP de estreia que a abraçou, tem aquelas qualidades únicas de um clássico pop que faz dançar, orelhudo na dose certa e muito melódico. Em 2014 dão um twist no som, apresentando o EP “Beat Oven”, e passam a quatro, com a chegada de Tito Romão e Filipe Louro, com quem preparam agora o lançamento do segundo álbum.

Por último, Francis Dale, um cantor que se define como soul alternativo de um ‘Jeff Buckley meets Marvin Gaye’. As suas músicas vivem da sua voz, da guitarra contida, mas nada secundária, e de ritmos refinados e muito temperados de soul e pop. Francis Dale tem um EP – “Lost In Finite” – que o apresenta na perfeição. As canções do autor são belíssimas e com uma sofisticação que, sem contradição, sabem inspirar-se no passado para serem incrivelmente atuais.

Estes nomes juntam-se aos anteriormente anunciados Adult Jazz, Bristol, Capicua, Cloud Nothings, Curtis Harding, Deers, Duquesa, Éme, I Break Horses, JJ, Johanna Glaza, Kindness, King Gizzard & The Lizard Wizard, Meu Kamba Soundsystem, Modernos, Palma Violets, Perfume Genius, Savanna, Sensible Soccers, Sharon Van Etten, Shura, Sinkane, St. Vincent, Throes + The Shine, Tiago Iorc e Tune-Yards.

Os The Fresh & Onlys tiveram, por sua vez, que cancelar a sua digressão europeia prevista para os meses de novembro e dezembro, e que incluía passagem pelo Vodafone Mexefest.

O Vodafone Mexefest regressa à Avenida da Liberdade, em Lisboa, nos dias 28 e 29 de setembro. Os bilhetes, já à venda nos locais habituais, custam €40. Os mesmos podem ser adquiridos através da App Vodafone Mexefest, com desconto de €5 no bilhete do festival.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.