Em declarações à Lusa, o coordenador do projeto, João Pedro Brandão, explicou que o projeto surgiu no ano passado “de uma forma laboratorial com poucos alunos e num espaço de tempo bastante curto”, tendo corrido "muito bem", pelo que se procurou alargar a experiência.

“Vem de um trabalho que a Orquestra Jazz de Matosinhos já faz há muitos anos, de levar o jazz às escolas, mas dando um passo no sentido de os alunos participarem, ou seja, fazerem parte integrante de um processo criativo com um resultado final”, disse João Pedro Brandão.

Assim, a orquestra envolveu cerca de 80 alunos da Escola Secundária Augusto Gomes, não só na área da música, mas também de literatura e das artes plásticas, para um processo que culmina na sexta-feira às 21h30 no salão paroquial de Matosinhos.

O projeto subordinou-se ao tema “Padrões e Pregões” numa alusão aos padrões usados pelas ‘big bands’ de jazz, mas também aos pregões do mercado e da própria cidade de Matosinhos.

O trabalho desenvolveu-se desde o final de outubro, “pouco depois de as aulas se iniciarem”, com oficinas de música, de escrita e até de vídeo, num ritmo semanal de atividades diferentes.

A ideia é agora prosseguir e alargar o projeto para “tentar abranger o maior número de pessoas possível”, disse João Pedro Brandão.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.