A diminuição do orçamento deve-se não apenas à própria conjuntura do país mas também "às receitas das concessões" no parque da Queima das Fitas, que têm vindo a baixar, explicou André Gomes, acrescentando que ainda não é possível avançar com os valores totais do orçamento.

As noites do parque serão de 9 a 16 de maio e este ano o palco é "aberto e fechado por grupos académicos", contou André Gomes, no final da apresentação da Queima das Fitas 2014, sublinhando que, desta forma, será possível "incluir todos os grupos musicais da casa", suprimindo, em algumas noites, "as bandas de abertura".

Este ano, à semelhança do que aconteceu em 2013, não haverá entradas totalmente gratuitas, mantendo-se "um contributo social" para quem recebe convite, referiu.

"Há mais Queima das Fitas para além das noites no Parque da Canção", salientou o secretário-geral, sendo que se irão realizar 27 atividades culturais e sete desportivas, entre os meses de março, abril e maio.

O cortejo da Queima das Fitas realiza-se num domingo, a 11 de maio, e o Baile de Gala a 10 de maio, tendo como tema este ano a "época dos loucos anos 1920".

A garraiada realiza-se na Figueira da Foz, a 15 de maio, e a bênção das pastas na Sé Nova, a 25 de maio.

Haverá três tendas no parque e, como em 2013, haverá um palco principal e um palco secundário, onde a gestão e curadoria dos primeiros quatro dias do palco secundário estão a cargo da Rádio Universidade de Coimbra (RUC).

O preço do bilhete geral de estudante para as noites do parque é de 49 euros.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.