"Já tive situações muito chatas e muito constrangedoras pelo simples facto de ser mulher. Por ser nova, as pessoas tomam-me por ingénua. E isso é coisa que nunca fui", revelou Bárbara Bandeira em entrevista à rádio MegaHits.

Na conversa, a jovem artista falou de casos de assédio sexual na indústria da música em Portugal. "Podem ter-me enganado uma ou outra vez, mas nunca me fizeram de parva. E sinto que nesta indústria há muitos homens que nos querem fazer de parvas. Digo homens porque nunca me aconteceu com mulheres, ou diria a mesma coisa. Não é por eu ser miúda e mulher que um agente me pode apalpar, que me pode mandar piropos: eu estou ali a trabalhar. Seja a mim, a uma bailarina ou uma fã minha", frisou.

"Chego ao pé de um rapper ou cantor e digo: 'Gostava muito que entrasses numa música minha, tens aqui o meu som, vê se curtes'. E a resposta dele é: 'OK, queres vir ter comigo ao Algarve hoje?' (...) Se eu fosse uma miúda ingénua, teria ido ter com um rapper a Vilamoura para falar, supostamente, de trabalho, e se calhar tinha corrido mal. É importante que todas as miúdas que têm o sonho de ser cantoras em Portugal tenham consciência daquilo em que se estão a meter e tenham uma base emocional sólida", sublinhou Bárbara Bandeira na entrevista.

"Eu não só sei dizer como é ser mulher, como sei dizer como é ser menor de idade e mulher na indústria da música", rematou.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.