Num comunicado hoje divulgado, a SPA “manifesta pesar” pela morte de “uma das maiores atrizes portuguesas do século XX e uma mulher de grande sensibilidade bom gosto”, que era sua associada desde 1994.

Na nota, a SPA recorda “a importância da sua carreira – de mais de 60 anos - como grande atriz”, referindo que Carmen Dolores “foi figura destacada nas mais importantes companhias portuguesas”.

Nascida em Lisboa, a 22 de abril de 1924, Carmen Dolores estreou-se no Teatro da Trindade em 1945, mas para trás ficava um percurso iniciado anos antes, na rádio, como declamadora e atriz, e no cinema, onde protagonizara filmes como “A vizinha do lado”, de António Lopes Ribeiro, e “Amor de Perdição”, de Leitão de Barros.

Seguir-se-ia o trabalho no Teatro Nacional D. Maria II, então com a Companhia Rey Colaço - Robles Monteiro, e um percurso de 60 anos que passou pela maioria dos palcos portugueses, companhias independentes, cinema, rádio e televisão.

Retirou-se em 2005, com a peça “Copenhaga”, no Teatro Aberto, encenada por João Lourenço.

Em julho de 2018, recebeu do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, as insígnias de Grande-Oficial da Ordem do Mérito, depois de anteriormente ter sido condecorada pelo chefe de Estado Jorge Sampaio com o grau de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.

Carmen Dolores foi ainda distinguida com a Medalha de Ouro da Câmara Municipal de Lisboa, o prémio Sophia de Carreira, da Academia Portuguesa de Cinema, e o Prémio António Quadros de Teatro, entre outros galardões.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.