Os Concertos para Bebés com uma abordagem à música eletrónica estreiam-se em Portugal no domingo, disse hoje à agência Lusa Paulo Lameiro, da organização.

A estreia deste programa realizou-se em Espanha, no mês de março e agora será a vez dos bebés portugueses testarem o Concerto para Bebés versão eletrónica, da responsabilidade da companhia artística de Leiria Musicalmente, no Teatro Miguel Franco, em Leiria.

"Por norma, todos os nossos programas têm a sua estreia absoluta em Portugal, e quase sempre na cidade de Leiria. Ainda assim, o nosso distribuidor espanhol, sabendo que estávamos a trabalhar um programa novo com alguns desafios tecnológicos, fez muita pressão para que fizéssemos a estreia num festival em Pontevedra", explicou Paulo Lameiro, diretor artístico da Musicalmente.

O maestro salientou tratar-se de um "desafio técnico", uma vez que o som irá sair por "oito canais independentes, quatro no solo e quatro no ar, criando uma espacialização" que "pode sugerir as memórias sonoras intrauterinas".

"Depois, foi o exercício de ter a eletrónica a estruturar o programa, não abandonando os instrumentistas que produzem som acústico ao vivo, mas misturado e processado em tempo real. A reação do público foi além das nossas expectativas. Estando seguros do interesse dos bebés, contávamos com menos entusiasmo por parte dos pais, o que não se veio a verificar", acrescentou Paulo Lameiro.

Segundo o diretor artístico, "contrariando a ideia de que essas pessoas pequeninas ainda não conseguem 'perceber' a arte musical mais elaborada ou mais moderna sempre foi nosso desafio oferecer momentos de fruição o mais ricos e inesperados possíveis".

No entanto, admite que "a música 100% acústica interessa muito mais aos bebés, por uma razão simples: é-lhes mais autêntica, porque mais próxima dos seus indicadores vitais. Por isso, sempre demos prioridade aos concertos sem qualquer sistema de amplificação sonora".

O diretor artístico está com "muita curiosidade" para saber como será a recetividade, "dado que a generalidade do público do país vizinho "sai muito mais com bebés para a rua, e estes estão por isso mais recetivos a novos desafios".

"A eletrónica em si, que se pode vestir de muitas roupagens, é por norma uma linguagem que se cultiva ou despreza, sendo por isso sempre uma grande surpresa o que acontece em cada concerto", acrescentou.

Nelson Brites, um dos mais conhecidos músicos portugueses de vertente eletrónica, compôs e executou a música para estes concertos.

"As crianças estão sobretudo à procura de estímulos e interessam-lhes sons que são diferentes dos que estão habituados a ouvir no dia-a-dia. Não sei como vai ser a reação à eletrónica, pois não podemos ver a música de forma isolada", destacou Nelson Brites à Lusa, salientando que gosta de "ultrapassar as fronteiras do normal".

No dia 15, a Musicalmente leva o espetáculo ao Festival El Més Petit de Tots, em Barcelona, estando de volta a Portugal no dia 22 com o programa de eletrónica no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.