A iniciativa, com espetáculos duas vezes por mês, sempre aos sábados à noite, a partir deste mês e até ao final de agosto, realiza-se no Páteo de São Miguel, da Fundação Eugénio de Almeida (FEA), a entidade promotora.

O ciclo EA Live, com concertos intimistas, segundo explicou a organização, apresenta-se em “formato ‘slow fest’, trazendo a vivência da música ao ritmo tranquilo dos fins de tarde de verão” no Páteo de São Miguel, no centro histórico da cidade alentejana.

O “pontapé de saída” do programa acontece, hoje, com as atuações do grupo Dead Combo, de Pedro Gonçalves e Tó Trips, e de Lince, projeto de Sofia Ribeiro, teclista dos We Trust e There Must be a Place.

Os Dead Combo, cujo último álbum se intitula “Oden Hotel”, apresentam-se em Évora “na sua nova formação, com Alexandre Frazão na bateria, Gui (Xutos & Pontapés) nos sopros e António Quintino no contrabaixo”, indicou a FEA.

Hoje, no primeiro dia do ciclo de concertos, decorre ainda um espetáculo com Joana Guerra, que integra a programação de outro evento promovido pela fundação, o Lá Fora – Festival Internacional de Artes Performativas.

A outra jornada deste mês do EA Live está agendada para dia 23, com concertos de Salvador Sobral, autor de “Amar pelos Dois”, com que conquistou o Festival Eurovisão da Canção de 2017, e das Golden Slumbers, das irmãs Catarina e Margarida Falcão.

No concerto na cidade alentejana, “numa viagem que principia no jazz”, Salvador Sobral vai explorar canções do seu disco de estreia, intitulado “Excuse Me”, mas revelar também “influências da bossa-nova” e “das doces sonoridades da América Latina”.

Quanto ao mês de julho, o programa integra concertos, no dia 14, do maestro Rui Massena, que se apresenta em palco ao piano nesta sua nova “aventura solitária”, e da cantora Mila Dores, assim como, no dia 28, do fadista Camané e d’O Gajo, projeto a solo de João Morais, baseado na viola campaniça.

Em agosto, o EA Live volta a “dar música” a Évora, na primeira data, no dia 11, com espetáculos com a cantora de “world music” e de jazz Carmen Souza e o poeta e cantautor brasileiro Luca Argel, radicado no Porto.

O encerramento da iniciativa está marcado para dia 25, com atuações do músico, cantor e compositor Jorge Palma e do projeto Homem em Catarse, do músico Afonso Dorido.

A Fundação Eugénio de Almeida é uma instituição de direito privado e utilidade pública, criada na década de 1960, cujos fins estatutários se concretizam nos domínios cultural, educativo, social e espiritual, "visando o desenvolvimento humano pleno, integral e sustentável da região de Évora”, refere a página de Internet da instituição.

Newsletter

Os melhores filmes, as séries mais populares e a música que tem mesmo de ouvir. Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.