Um amigo de infância de George Michael defendeu que as drogas contribuíram para a morte prematura do cantor. O artista britânico de 53 anos foi encontrado morto no dia de Natal, na sua casa. Segundo as informações partilhadas pelas autoridades, a autópsia foi inconclusiva.

Andros Georgiou, que cresceu com George Michael, revelou ainda que o cantor tinha "pensamentos suicidas" devido aos problemas relacionados com "a sua saúde mental". "Mas não acredito que ele se suicidou", frisou o amigo no programa de Victoria Derbyshire na BBC.

"Acho que ele consumiu muito alguma coisa e misturou com antidepressivos, outras drogas que ele consumia e álcool", contou, revelando ainda que a cocaína era "uma das drogas favoritas" do fundador dos Wham.

"[Heroína] foi a única droga em que ele não tocou", revelou na entrevista à BBC.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.