Palavras e gestos inapropriados levam Gérard Depardieu a ser acusado de "violência sexual" por 13 mulheres num artigo do jornal 'online' independente Mediapart [acesso pago], citado pelo Deadline.

Uma cultura de tolerância da indústria francesa para com os atos do ator francês também é comum na descrição dos alegados casos ocorridos com atrizes, artistas de caracterização e outras pessoas da equipa de 11 filmes e séries entre 2004 e 2022, incluindo "Marseille", da Netflix.

Em comunicado ao Mediapart, a firma de advogados que representa Depardieu diz que "ele nega formalmente todas as acusações que provavelmente se enquadram na lei criminal" e que alguns dos relatos parecem basear-se em "avaliações muito subjetivas e/ou julgamentos morais".

Vários realizadores e produtores das produções citadas também emitiram comunicados a desmentir qualquer conhecimento dos atos do ator.

"Existem indícios graves": Justiça francesa vai continuar a investigar Gérard Depardieu por violação
"Existem indícios graves": Justiça francesa vai continuar a investigar Gérard Depardieu por violação
Ver artigo

Os relatos das 13 mulheres, alguns sob anonimato, não incluem a atriz Charlotte Arnould, que o acusa de violações e agressões sexuais alegadamente ocorridas em agosto de 2018, um caso que continua em investigação pela justiça francesa após um primeiro arquivamento.

“Além da denúncia de Charlotte Arnould, reunimos 13 relatos de mulheres que dizem ter sido submetidas a brincadeiras ou propostas sexualmente inapropriadas do famoso ator, com diferentes níveis de gravidade”, diz a reportagem do Mediaport assinada por Marine Turchi, que diz que a investigação durou vários meses e foi motivada por rumores antigos e outras notícias sobre os seus comportamentos com mulheres.

"Através dos diferentes relatos, a mesma cena parecia repetir-se. Elas são atrizes, caracterizadoras e membros da equipa. Garantem ter sido sujeitas a uma mão na nádega, entre as pernas, ou nas coxas ou no estômago, bem como propostas sexuais obscenas e, às vezes, gemidos insistentes", acrescenta o Mediaport.

O que também é comum é uma cultura na indústria de fechar os olhos aos comportamentos: o artigo diz que os incidentes, muitos deles em público, eram frequentemente desvalorizados no set com risos e a mesma resposta: "Ah ok, é apenas o Gérard!".

O Mediapart também diz que muitas das mulheres não denunciaram o ator na altura dos alegados atos por medo de represálias que as excluíssem da indústria: "Um elemento é recorrente nas histórias. A assimetria entre, por um lado, mulheres muitas vezes jovens e precárias, em início de carreira, e, por outro, um ator mundialmente famoso, cuja simples presença por vezes permite financiar o filme".

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.